Justiça retomará, em outubro, os depoimentos da Maus Caminhos

A Justiça Federal no Amazonas ainda irá definir a data das audiências, segundo a denúncia, dos líderes da organização, o médico Mouhamad Moustafá e da advogada Priscila Marcolino

Manaus – Em outubro, a Justiça Federal no Amazonas irá retomar os depoimentos de testemunhas em processo decorrentes da operação Maus Caminhos, deflagrada em setembro do ano passado para desarticular uma organização criminosa que, segundo o Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas, desviou mais de R$ 100 milhões da área de saúde do Estado.

Mouhamad e Priscila foram libertados para cumprir prisão domiciliar, em 30 de agosto(Foto: Eraldo Lopes)

Na tarde do próximo dia 6 de outubro, a juíza federal Ana Paula Serizawa fará audiência de instrução de julgamento para ouvir, por videoconferência, seis testemunhas de defesa residentes em Tabatinga, uma do Paraná e outra residente no Rio de Janeiro.

As investigações da operação Maus Caminhos envolvem denúncias de irregularidades ocorridas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tabatinga.

Para o dia 17 de outubro a magistrada determinou realização da audiência de instrução e julgamento, oportunidade em que serão ouvidas, por videoconferência, nove testemunhas de defesa residentes no Distrito Federal.

A Justiça Federal no Amazonas ainda irá definir a data das audiências dos líderes da organização, o médico Mouhamad Moustafá e da advogada Priscila Marcolino.

Em 30 de outubro, procurador da República Alexandre Jabur informou que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Tofolli homologou a primeira delação premiada na operação Maus Caminhos.

Mouhamad e Priscila, que estavam presos desde setembro do ano passado, foram libertados para cumprir prisão domiciliar, em 30 de agosto, após pagamento de fianças determinadas pela Justiça no valor de R$ 28 mil para cada acusado.

Anúncio