´Lamaçal´ de corrupção exigiu trabalho triplicado a CPI da Saúde, diz deputado

A dimensão de atos ilícitos e os valores desviados ou utilizados de forma indevida, de acordo com deputado Delegado Péricles, desencadearam meses de trabalho sem pausa

Manaus – O deputado estadual Delegado Péricles afirmou, na manhã dessa quinta-feira (24), que a quantidade de casos de corrupção descobertos no atual momento da gestão pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde exigiu mais tempo de análise do que o previsto pelos membros titulares no início dos trabalhos.

Deputado Delegado Péricles – Presidente da CPI da Saúde (Foto: Divulgação)

A dimensão de atos ilícitos e os valores desviados ou utilizados de forma indevida, de acordo com o presidente da Comissão, desencadearam entre os parlamentares e equipe técnica voluntária, meses de trabalho sem pausa, com análise de milhares de documentos, descoberta de momentos, exposição à população e, principalmente, de fornecimento de dados que desencadearam ações, prisões, afastamentos e suspensões.

“Usando uma metáfora, é como se tivéssemos saído do KM-0 para chegar em Porto Velho pela BR-319 e encontrado logo no início da estrada um lamaçal tão profundo que dificultou a conclusão de tudo que pretendíamos em apenas 120 dias. Os absurdos eram tantos que precisávamos conter a sangria do governo atual e salvar sim vidas. Milhões que seriam derramados foram poupados, graças à CPI da Saúde. E eu garanto que muito ainda seria feito se ela fosse prorrogada, o que após três reuniões sem quórum suficiente para sua votação, me faz crer e lamentar que não acontecerá”, afirmou o parlamentar.

Segundo Péricles, mesmo que não tenha prorrogação aprovado pela Casa Legislativa, a CPI mostrou não só dados, mas resultados efetivos na gestão da saúde pública, além de provar que é possível, por meio de muito trabalho sério, técnico e isento, trazer à população o que ela espera de quem deve diariamente cumprir papel de fiscalizador.

“Nunca uma CPI tinha mexido de forma efetiva com a forma de gerir um estado. São apenas cinco parlamentares fazendo a obrigação de todos os 24. Foi difícil, são casos complexos, milhares de volumes analisados. Mesmo assim avançamos, mostramos que os indenizatórios chegam a centenas de milhões, que o Hospital de Campanha Nilton Lins foi uma decisão desastrosa e que tudo isso, tanto desvio e corrupção, vem de muitos governos. Muitas outras revelações foram feitas e muito mais poderíamos fazer se tivéssemos essa prorrogação”, continuou.

O parlamentar afirmou, ainda, que a CPI reconquistou a esperança e confiança da população em dias melhores, por meio do trabalho transparente. “A Comissão levou as pessoas para frente de suas tvs, computadores, celulares, para acompanhar as reuniões, saber tudo de ilícito que vinha sendo feito e estava escondido nos bastidores da gestão. Os reais porquês para tanto caos vivenciado por todos hoje. A CPI trouxe a esperança dessas pessoas de novo e por isso eu repito que precisamos honrar nosso papel de fiscalizadores e seguir com nossos trabalhos independentemente de prazos”, concluiu.

Anúncio