Líderes partidários vão discutir Reforma da Previdência nesta terça-feira

O Senado só pode iniciar formalmente a análise e votação da reforma da Previdência depois que a matéria for aprovada pela Câmara dos Deputados

Brasília – Depois de se encontrar com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) disse que a reforma da Previdência é a “prioridade da casa”.  A análise da matéria começa pela Câmara dos Deputados. Será instalada uma comissão especial assim que o texto for encaminhado pelo Poder Executivo. Os líderes partidários se reúnem, nesta terça-feira (12), para tratar das votações da semana e também da reforma da Previdência.

O prazo para apresentação da reforma da Previdência, no entanto, depende do presidente da República, Jair Bolsonaro, que vai dar a palavra final sobre alguns pontos, como “tempo de transição, as idades, se esse novo regime vem agora ou vem depois. É perfeitamente possível consertar esse regime que está aí e lanças as bases do novo regime para, de novo, encaminhar ao congresso para estabelecer essas novas bases”, disse o ministro Paulo Guedes.

De acordo com Alcolumbre, os senadores sabem da urgência da reforma da Previdência (Foto: Divulgação)

De acordo com o presidente do Senado, os senadores sabem da urgência da reforma da Previdência e, por isso, o assunto deve ser debatido, pela casa, ao mesmo tempo em que as mudanças estiverem em votação na Câmara dos Deputados.

“O parlamento brasileiro vai recepcionar essa proposta, que ainda está sendo discutida pelo ministro da Economia e pelo próprio presidente da República, e o Senado aguarda a apresentação da reforma da Previdência e tem a clareza que é preciso garantir as gerações futuras”, afirmou Alcolumbre.

O Senado só pode iniciar formalmente a análise e votação da reforma da Previdência depois que a matéria for aprovada pela Câmara dos Deputados. No entanto, na próxima reunião de líderes, nesta terça-feira (12), os senadores vão debater qual a melhor forma de antecipar as discussões para agilizar a votação do texto assim que ele chegar ao Senado.