Luciano Huck informa que não será candidato a presidente da República

Na quarta-feira (14), Huck rascunhou algumas linhas para explicar seus motivos. O apresentador não se filiará a partido, mas dirá que continuará discutindo as questões relevantes ao futuro do Brasil

Brasília – O apresentador confirmou à coluna da jornalista Sonia Racy, do jornal O Estado de S. Paulo, na tarde de ontem que não será candidato à Presidência da República. “Não serei candidato mas não quero falar mais sobre o assunto agora. Preciso digerir a decisão”, disse o apresentador. A decisão já foi tomada pelo apresentador. E será anunciada até amanhã. Ontem mesmo Huck começou a avisar o seu entorno.

A decisão já foi tomada pelo apresentador. (Foto: Reprodução)

Na quarta-feira (14), Huck rascunhou algumas linhas para explicar seus motivos. O apresentador não se filiará a partido algum, mas dirá que continuará discutindo as questões relevantes do Brasil. Mais cedo, chegou a dizer a um interlocutor: “Com o mergulho que fiz nos últimos meses, me sinto preparado a discutir qualquer assunto”.
Huck vinha conversando com vários partidos sobre sua entrada no jogo eleitoral, mas desistiu de concorrer. O presidente do PPS, Roberto Freire, legenda que abrigaria Huck, disse que não foi comunicado da decisão oficialmente. A saída de Huck da disputa beneficia o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), que deve ser o candidato único do centro. De todos os nomes colocados nesse campo, ele é o que mais pontua. O apresentador disse a interlocutores que foi uma decisão difícil, que está triste, mas que os prazos o estrangularam.

A coluna de Mônica Bergamo, no UOL, informou que Luciano Huck está triste “como quem interrompe uma gravidez” por ter desistido de disputar a Presidência, segundo um de seus mais próximos interlocutores. “O corpo todo se preparava e se movia para a chegada dessa nova vida. E ela teve que ser interrompida. É frustrante”, completa o amigo do apresentador. O apresentador afirmava que ele estava entusiasmado como nunca para se candidatar à Presidência. Já fazia planos e acreditava que poderia, em cem dias de governo, aprovar reformas e injetar um novo ânimo no País.

Huck achava, ainda, que, recém-eleito e com altos índices de popularidade, poderia convencer o Congresso a apoiar as boas ideias que imaginava que tinha. Confiava também que poderia carregar com ele uma boa bancada de parlamentares eleitos por movimentos de renovação que o apoiam. De acordo com esses relatos, Huck acredita verdadeiramente que a geração dele deve participar da vida pública e que a chance estava dada.

O ministro Napoleão Nunes Maia, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mandou arquivar, ontem, uma ação movida pelo PT contra a Rede Globo e os apresentadores Luciano Huck e Fausto Silva. Para o partido, houve campanha eleitoral antecipada durante a participação de Huck no programa ‘Domingão do Faustão’, em 7 de janeiro.
O ministro entendeu que como Huck já afirmou publicamente e reiterou à Justiça Eleitoral que não será candidato à Presidência da República. O ministro também afirmou que os dois autores da ação, o deputado Paulo Pimenta (RS) e o senador Lindbergh Farias (RJ), “carecem de legitimidade ativa” para propor a ação, pois a legislação eleitoral determina que esse tipo de representação deve ser feita por “partido político, coligação, candidato ou Ministério Público Eleitoral”.

Anúncio