Mandetta disse que orientou Bolsonaro olhar por Manaus pelo avanço da Covid

A declaração foi feita há pouco durante depoimento na CPI da Pandemia, no Senado Federal

Manaus – Na CPI da Pandemia, o ex-ministro Henrique Mandetta disse que, ao deixar a pasta, alertou o presidente sobre a situação crítica de Manaus e do Rio de Janeiro.

(Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse que, e ao ser exonerado do ministério, em um último encontro com o presidente Jair Bolsonaro, o aconselhou a dar especial atenção à situação da pandemia no Rio de Janeiro e Manaus, diante do avanço da pandemia e que não trocasse a equipe. A declaração foi feita há pouco durante depoimento na CPI da Pandemia, no Senado Federal.

Mandetta revelou ter sido questionado pelo presidente se ele gostaria que a sua exoneração fosse a pedido, no que o ex-ministro declinou e se referiu a uma declaração dada ainda durante a sua gestão, de que médico não abandona paciente, motivo pelo qual não pediu para deixar a pasta.

O ex-ministro é defensor da continuidade das ações da Saúde e foi um dos primeiros críticos da troca de secretário de Saúde do Amazonas, na primeira onda da pandemia no Estado, quando o governador Wilson Lima substiutiu o então secretário Rodrigo Tobias por Simone Papaiz.

Anúncio