Manifestantes furam bloqueio e entram de carro na Esplanada

Confusão acontece neste momento. Policiais Militares negociam com os manifestantes, que estão em ônibus, caminhões e carros

Brasília – Por volta das 20h desta segunda-feira (6), véspera dos atos do 7 de Setembro, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) furaram a barreira policial que bloqueva o acesso de veículos à Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e pressionaram a Polícia Militar pela liberação total da via, que estava bloqueada desde o último domingo (5).

O secretário de Segurança Pública do DF, Júlio Danilo Souza Ferrreira, disse à reportagem que os bolsonaristas avançaram para a área restrita sem autorização. A PM tentou fazer um novo bloqueio próximo à Catedral Metropolitana, mas os veículos passaram desta segunda barreira por volta das 21h.

Foto: REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Às 20h30, a fila de carros era longa e se estendia por todo o lado norte do Eixo Rodoviário. Os carros seguiam enfileirados até as proximidades da Rodoviária do Plano Piloto e, depois, rumo à Praça dos Três Poderes. Segundo os manifestantes, a intenção seria fazer uma carreata pelo local, com caminhões e carros de som.

R7 flagou a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, no meio das manifestações, por volta das 20h55. Participam também vários pedestres, a maioria sem máscaras. Eles já estão montando barracas e improvisando um acampamento no canteiro central da Esplanada dos Ministérios. Os obstáculos colocados pela polícia na via estão sendo retirados por quem passa no local.

Às 21h30, alguns carros e caminhões desligaram os motores e estacionaram em plena pista principal da Esplanada. As forças de segurança negociam desde esse horário com os manifestantes para que levem os ônibus para a Praça da Cidadania, próxima ao Teatro Nacional, e acampem no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade.

Muitos carros transitam com a placa “Supremo é o povo”, em crítica direta ao Supremo Tribunal Federal (STF). Os atos ignoraram completamente o esquema especial montado pelas forças de segurança pública do Distrito Federal para organizar os protestos.

Por volta de 23h, já havia acampamentos montados também entre ministérios. Além de retirar parte das grades de contenção que cercam o Congresso, os bolsonaristas usaram as peças para cercar as próprias barracas.

Grupos improvisaram festas com música alta e ambulantes desceram para vender comidas e bebidas em meio a um constante buzinaço. Um agente da Secretaria de Segurança Pública disse a presentes que por volta de 1h a fiscalização teria que passar recolhendo as barracas, mas o acampamento não diminuiu em momento algum.

Anúncio