Mourão compara aglomerações ao futebol: ‘povo não é disciplinado’

Vice-presidente negou que Brasil viva onda negacionista na pandemia e despistou sobre multidão no aniversário de Bolsonaro

Brasília – O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, negou que o Brasil viva uma onda negacionista em relação à pandemia. Segundo o general da reserva do Exército, o problema do País é o cansaço da população com as medidas de isolamento social e comparou o atual momento ao futebol local, que em sua visão é indisciplinado quando comparado às partidas europeias.

Sobre a troca de ministros da Saúde, o vice-presidente afirmou que ela deve ser concretizada nesta terça-feira (23). (Foto: Divulgação)

“Não acho negocionista. O problema nosso é aquela história, a população cansa. Nosso povo não é dos mais disciplinados. Basta olhar um jogo de futebol nosso e olha um jogo de futebol na Europa. Aqui, para bater uma falta, o cara leva cinco minutos. O mesmo cara quando vai para Europa muda a feição e a maneira de jogar e se comportar. Da nossa natureza, é difícil isso aí. Te digo isso porque eu fui 46 anos profissional do exército, uma instituição que a disciplina é fundamental e a gente sabe que não é fácil manter a disciplina”, disse, na manhã desta segunda-feira (23), em Brasília.

Perguntado sobre a aglomeração de apoiadores de Jair Bolsonaro, que se reuniram em frente ao Palácio do Alvorada para parabenizar o presidente pelo seu aniversário, Neste domingo (21), Mourão preferiu não polemizar.

“Eu vi as imagens, mas não tenho nada a comentar a esse respeito. São os apoiadores do presidente, parcela da sociedade tem admiração por ele e puderam expressar isso”, disse.

Especialistas em infectologia afirmam que a maneira mais eficiente de frear o contágio do novo coronavírus enquanto a vacinação não ganha escala é o isolamento social. No ato em favor de Bolsonaro, muitos apoiadores estavam sem máscara ou usando de maneira inadequada. O presidente, por sua vez, utilizava o equipamento de proteção.

Sobre a troca de ministros da Saúde, o vice-presidente afirmou que ela deve ser concretizada nesta terça-feira (23). “Esse é o último dado que eu tinha.”

Anúncio