‘Não vamos discutir aborto no Brasil’, diz Bolsonaro sobre indicação de ministros ao STF

Bolsonaro disse durante comício que, se reeleito, indicará ministros contra o aborto ao STF

Minas Gerais – O candidato à reeleição pelo PL Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (23) durante um comício em Divinópolis (MG) que, se reeleito, vai escolher dois novos ministros para o Supremo Tribunal Federal (STF) que sejam contrários à legalização do aborto.

blank

(Foto: Reprodução – YouTube PL)

“Não vamos discutir aborto no Brasil. E não se esqueçam que, quem se eleger presidente esse ano, indica dois ministros para ocupar o Supremo Tribunal Federal ano quem vem. Eu sendo reeleito, esses dois que vão para lá jamais serão favoráveis ao aborto também”, disse Bolsonaro.

Em 2023, duas vagas serão abertas no STF com a aposentadoria dos ministros Ricardo Lewandowski e Rosa Weber. É prerrogativa do Presidente da República indicar os novos nomes. Durante o seu governo, Bolsonaro nomeou dois ministros, Kassio Nunes Marques e André Mendonça.

Há, no STF, uma ação que pede a descriminalização do aborto. Ela está parada sob relatoria da ministra Rosa Weber, atual presidente da Corte. No Brasil, o aborto é permitido em três situações: em caso de estupro, quando há risco de vida para a mãe e se o feto tem anencefalia.

O presidente também disse durante o comício que vencerá a eleição em primeiro turno.”Nós somos a maioria. Nós venceremos no primeiro turno. Não existe eleição sem povo nas ruas. A gente não vê nenhum dos outros candidatos fazer um comício sequer que se aproxime a 10% do povo que tem aqui”, disse.

Antes do comício, Bolsonaro fez um passeio de moto pelas ruas de Divinópolis e cumprimentou apoiadores. À tarde e à noite ele continua em Minas Gerais e cumpre agenda em Belo Horizonte e Contagem.

Anúncio