Novo presidente da ALE diz que vai avaliar os pedidos de impeachment contra Wilson Lima

Deputado Roberto Cidade falou sobre os vários pedidos de impeachment, além das estatísticas de infecção e mortes pela Covid

Manaus – Os cinco pedidos de impeachment, que passam por análise jurídica da Procuradoria da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), contra o governador Wilson Lima (PSC) e o vice-governador Carlos Almeida (PTB), serão avaliados em breve pela nova composição da Mesa Diretora do Poder Legislativo, anunciou o presidente empossado da Casa, deputado Roberto Cidade (PV), em entrevista coletiva virtual na tarde desta segunda-feira (1).

“Sei que temos vários pedidos de impeachment, uns que foram recebidos e outros que já estão na Procuradoria. Nós iremos analisar e em breve daremos uma resposta, sobre como iremos agir, com todos esses pedidos de impeachment, que estão aqui na Assembleia”, declarou, ao responder o questionamento feito por jornalistas.

O presidente ressaltou ainda que ações de combate à pandemia em todo o Estado, são prioridades em sua gestão. Nas respostas dadas aos jornalistas que enviaram suas perguntas, por meio virtual, o parlamentar enfatizou que usará a independência política da Assembleia Legislativa frente ao Executivo.

“Os Poderes são independentes e a Assembleia vai ter o mesmo diálogo que teve nos últimos anos. Estamos passando por um momento muito turbulento da política amazonense. Acredito que todos os colegas têm suas opiniões, mas como presidente deste Poder, quero dizer que vamos atuar de forma independente, sempre estando ao lado do povo do nosso Amazonas”, pontuou Roberto Cidade.

Roberto Cidade usou as estatísticas de infecção e mortes pela Covid-19, no Amazonas, para chamar a atenção da necessidade de união entre os 24 deputados estaduais. “Esse mês de janeiro foi muito triste, um mês que tivemos o maior número de mortes da história da nossa grande Capital, Manaus. E nós já estamos vendo isso acontecer no Interior”, analisou.

Reunião

Cidade anunciou ainda uma reunião híbrida com prefeitos de municípios do Interior, onde os deputados irão apontar quais as necessidades mais eminentes das cidades. “Vamos tratar, para darmos mais suporte e recursos ao interior. Nenhuma cidade tem um hospital que chegue aos pés do 28 de Agosto. Se chegar lá (a Covid-19), da mesma forma que chegou aqui em Manaus, será lamentável e muitos amazonenses irão morrer”, frisou Roberto Cidade.

O auxílio do Governo Federal à saúde pública do Amazonas, também mereceu reconhecimento de Cidade. Segundo ele, não fossem os esforços e ações do presidente Jair Messias Bolsonaro (Sem partido), por meio do ministro da saúde coronel do exército, Eduardo Pazuello, Manaus estaria ainda mais afundada no caos. “Sou muito grato porque se não fossem eles, teríamos perdido mais amazonenses. Nossa relação com o Governo Federal será de diálogo harmonioso, buscando que eles nos ajudem ainda mais”, acentuou Roberto Cidade.

Anúncio