‘O que eu tenho a ver?’, questiona Bolsonaro sobre morte de líder do PT em Foz do Iguaçu

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou ser contra qualquer tipo de violência entre apoiadores

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro (PL) foi questionado nesta segunda-feira (11) sobre o assassinato de um dos líderes do Partido dos Trabalhadores (PT), cometido por um apoiador do governo federal. Durante uma entrevista no Palácio do Alvorada, em Brasília, o presidente disse que não tem relação alguma com o crime.

Jair Bolsonaro, presidente da República (Foto: Valter Campanato / Agência Brasil)

“Ninguém sabe ainda [se tem conotação política]. Chegaram vídeos para a gente de antes do crime em si. O cara fez um boletim de ocorrência, disse que o outro chega lá gritando ‘sou Bolsonaro’. Quando o Adélio [Bispo] me esfaqueou, ninguém disse que era do PSOL. Agora o que eu tenho a ver com a morte desse [homem], com esse episódio?”, questionou Bolsonaro.

Quando questionado sobre o clima político do País ter contribuído para o episódio do último sábado (9), Bolsonaro afirmou ser contra qualquer tipo de violência entre apoiadores.

“Esperamos que não aconteça [a violência]. Está polarizada a questão. Agora o histórico de violência não é do meu lado, é do lado de lá [em referência ao PT]”, completou.

O presidente evitou responder se suas declarações influenciam a violência entre os apoiadores e voltou a afirmar que “querem criminalizar ele a todo o tempo” e que “não está do lado de ninguém que pela violência faz política”. No domingo (10), Bolsonaro republicou uma postagem em seu Twitter pedindo “Que as autoridades apurem seriamente o ocorrido e tomem todas as providências cabíveis, assim como contra caluniadores que agem como urubus para tentar nos prejudicar ‘24 hora’ [sic] por dia”.

Anúncio