Pandemia: Wilson Lima está na mira da CPI do Senado

O governador Wilson Lima já está na mira da CPI da Pandemia, no Senado Federal. O autor do pedido, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), sugeriu que a investigação comece pelo Amazonas

Manaus – O governador do Amazonas, Wilson Lima, já está na mira da CPI da Pandemia, iniciada nesta terça-feira (13) no Senado Federal. Em declaração ao colunista do ‘O Globo’, jornalista Lauro Jardim, o autor do pedido de instauração da Comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), sugeriu que a investigação da CPI comece pelo Amazonas. “Pode começar ouvindo o governador do Amazonas”, disse.

No Estado, Wilson Lima tem muito a explicar, começando pela compra de respiradores mecânicos em uma loja de vinhos, passando pelo contrato de aluguel de um hospital de campanha, sem esquecer, ainda, dispensas de licitações e contratos suspeitos que fizeram parte do relatório da CPI da Saúde – finalizada em setembro do ano passado na Assembleia Legislativa do Estado (ALE).

Governador Wilson Lima tem muito a explicar, começando pela compra de respiradores mecânicos em uma loja de vinhos (Foto: Diego Peres / Secom)

Para o senador Eduardo Braga (MDB-AM), já designado para compor a comissão, a CPI é uma “resposta ao povo brasileiro”, O senador foi um dos primeiros a assinar o requerimento da comissão parlamentar de inquérito que vai investigar as ações e omissões no combate à Covid-19 e, particularmente, na crise de abastecimento de gás oxigênio no Amazonas.

Na opinião do senador, o povo “quer entender como, com tantos recursos disponibilizados, tanto para o Ministério da Saúde quanto para os Estados, nós não conseguimos nos planejar para enfrentar a pandemia da forma correta”.

O parlamentar lembrou o caos enfrentado pelos amazonenses, com falta de leitos de UTI, de medicamento e profissionais treinados na área de saúde. Situação que ficou ainda mais grave, completou, com a falta de oxigênio na segunda onda da pandemia, mesmo com todos os alertas por parte de cientistas e especialistas.

Sobre o assunto, a coluna Diário do Poder, publicada em vários jornais do País, incluindo o DIÁRIO DO AMAZONAS, do jornalista Cláudio Humberto, pontuou na edição desta terça-feira, 14, que a crise no Amazonas pode virar um trunfo do governo federal. “Governistas avaliam que vai ser possível demonstrar na CPI que recursos não faltaram para o Amazonas, nem para os municípios. No total, para o Estado, o governo federal destinou R$1,4 bilhão, dos quais R$487 milhões serviram para ações vinculadas à luta contra pandemia e R$890 milhões para compensar perdas fiscais”, escreveu.

Ainda sobre o tema, Cláudio Humberto afirmou: “O governo repassou uma grande quantidade de recursos não só para o Estado do Amazonas, mas também para o município de Manaus”.

Instalação

Nesta terça-feira (13), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), leu o requerimento para abertura da CPI da Covid, que apura a omissão do governo federal na pandemia. Dois senadores do Amazonas, Eduardo Braga (MDB) e Omar Aziz (PDS), já foram indicados para compor a comissão.

Pacheco decidiu ampliar o escopo das investigações da CPI para incluir Estados e municípios, após consultar a Secretaria-Geral da Mesa do Senado, que apontou a proibição, dentro do regimento interno da Casa, para o Congresso analisar casos envolvendo Estados. A decisão do presidente do Senado permitiu que fatos conexos com governos estaduais e prefeituras que tenham recebido verbas federais sejam apurados.

Um primeiro requerimento, de iniciativa do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), pede a apuração apenas das ações e omissões do governo federal na pandemia. O senador Eduardo Girão (Podemos-CE), no entanto, apresentou um adendo para incluir também investigação sobre como Estados e municípios aplicaram recursos no combate à pandemia. A solicitação de Girão foi apensada, ou seja, juntada à de Randolfe.

Anúncio