‘Panelaço’ e fogos de artifício marcam protesto contra Wilson Lima; veja vídeos

Manifestação contra o governador do Amazonas, Wilson Lima, na noite deste domingo (31), aconteceu em vários pontos de Manaus

Manaus – O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), foi alvo do segundo panelaço na noite deste domingo (31). O ato foi realizado em diversos bairros de Manaus e foi organizado por meio de redes sociais e aplicativos de mensagens. Em cartazes, os manifestantes escreveram “Fora, Wilson Lima”. O protesto teve como objetivo pedir o impeachment do governador, que já é alvo de pelo menos cinco, recebidos pela Assembleia Legislativa do Estado (ALE).

Os protestos no Estado têm ganhado força após denúncias de escândalos de corrupção e o recente colapso da Saúde no Amazonas que causou a falta de oxigênio em unidades de Saúde. A falta do insumo resultou em mortes de pacientes infectados pelo novo coronavírus em Manaus e em cidades do interior do Estado.

Os manifestantes também protestam em favor das pessoas que não estão trabalhando, por conta das restrições impostas pelo governo que só permite o funcionamento dos serviços essenciais, e também pelas vítimas da Covid-19, que morreram por falta de assistência.

Além de bater panelas, os manifestantes soltaram fogos de artifício. Na última quarta-feira (27), o governador também foi alvo de “panelaço”.

Carreata

No último dia 22, manifestantes realizaram uma carreata para pedir o impeachment do governador Wilson Lima. Os veículos se reuniram em frente à sede do governo, localizada na Avenida Brasil, bairro Compensa, zona oeste de Manaus.

A carreata percorreu algumas ruas da capital, com carros contendo frases como: “Wilson Lima Genocida”, “Fora Wilson Lima” e “Amazonas Pede Socorro”.

Na época, Raphaela Moura, representante do movimento Respira Manaus, explicou que o grupo arrecada doações para comprar cilindros, medicamentos, suprimento hospitalar, além de viabilizar a entrega de oxigênios enviados por artistas.

“Estamos correndo atrás de tudo sozinhos, sem apoio nenhum. Nós coletamos os dados e fazemos o cadastro dessas pessoas. A gente acompanha o estado real delas. Algumas vezes esse oxigênio chega tarde demais e as pessoas já vieram a óbito. A gente tá correndo contra o tempo para salvar mais vidas, mas muitas já foram ceifadas e é por elas que vamos continuar brigando”, explicou.

Os manifestantes prometem novos protestos nas próximas semanas visando pressionar a ALE a colocar em votação o pedido de impeachment em tramitação na Casa Legislativa.

***Matéria atualizada às 23h31***

Anúncio