PMN busca diálogo para fortalecer o ‘Bloco da Resistência’ no Amazonas

O criação de um novo partido, o Unidade Popular (UP), tem como objetivo ‘apoiar a luta pelo socialismo no Brasil’

Manaus – Com a criação do partido Unidade Popular (Up), autorizado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no último dia 10 de dezembro, o Partido da Mobilização Nacional (PMN) tem buscado um diálogo com a nova sigla para fortalecer o “Bloco da Resistência” formado por partidos da esquerda no Amazonas.

O PMN tem defendido o diálogo amplo entre partidos de esquerda (Foto: Amanda Monteiro/Divulgação)

Em seu estatuto de criação, o UP tem como objetivo “apoiar a luta pelo socialismo no Brasil e promover a unidade das forças populares para intervir no processo político do país”. De acordo com o presidente estadual do PMN no Amazonas, Marcelo Amil, a criação de um novo partido de esquerda fortalece a luta por políticas públicas que defendam direitos conquistados ao longo de décadas pela classe trabalhadora, aposentados, indígenas e outras minorias.

“É importante ter mais um partido no leque, pois o Brasil vive um momento de necessidade de afirmação de posições. Um partido que nasce com o apoio de meio milhão de brasileiros, assumindo sua ideologia e enfrentando o processo político com verdade é imprescindível para a luta que a esquerda brasileira vive nesse momento. O PMN tem defendido o diálogo amplo, e vamos insistir nessa tese buscando a UP nesse momento”, disse Amil.

A legenda é a 33ª com registro na Justiça Eleitoral e disputará eleições municipais em 2020 sob o número 80. A Unidade Popular foi criada em 2016, mas os militantes passaram os dois últimos anos coletando as 497.230 mil assinaturas exigidas para a oficialização do partido.

Assim como o PMN, o novo partido é ligado a movimentos que atuam em defesa da moradia popular, a educação pública gratuita em todos os níveis e a continuação de direitos adquiridos nos últimos anos. Com a aprovação, a Unidade Popular poderá participar das eleições municipais de 2020.

Anúncio