Em Manaus, Manuela D’Ávila defende Zona Franca e ‘reconstrução’ da BR-319

A pré-candidata à Presidência da República pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Manuela D’Ávila, cumpre agenda na capital amazonense. Ela defendeu a continuidade da Zona Franca e integração da região com o restante do País

Manaus – A pré-candidata à Presidência da República pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Manuela D’Ávila, cumpre agenda na capital amazonense, nesta sexta-feira (20), e aproveitou para defender o modelo Zona Franca de Manaus e a reconstrução da BR-319, que para ela é uma rodovia que pode destravar os empecilhos de integração da região Norte com o restante do País.

A deputada estadual pelo Rio Grande do Sul e pré-candidata à Presidência criticou ainda a privatização da Eletrobrás durante coletiva realizada na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), onde foi palestrante no Seminário ‘Desafios para uma Amazônia Sustentável’, na manhã desta sexta. A deputada disse também acreditar no potencial turístico da região. Sobre a Zona Franca, Manuela foi incisiva e alegou que seu partido, o PCdoB, sempre a defendeu.

“Eu era líder na bancada dos deputados quando votamos sobre a renovação da Zona franca de Manaus. Historicamente, o PCdoB compreende que o modelo tem papel importantíssimo não só para o Estado, mas também para o Brasil”, disse. “A região é estratégica para o desenvolvimento do país. Compreendemos que é possível e preciso sofisticar determinadas áreas da Indústria e que elas podem receber investimentos em Ciência e Tecnologia como os fármacos e o ramo da beleza e cosméticos”, frisou.

Outro ponto apresentado pela pré-candidata foi a respeito dos reforços à infraestrutura da BR-319. “É inadmissível que a região possa se integrar aos EUA e ao Canadá e não se integre às regiões do próprio país”. Manuela usou o termo ‘reconstrução’ para falar da rodovia e em destravar os empecilhos para a integração. “A reconstrução da rodovia é necessária, porque ela é estratégica para todo o País”, relembrou.

A deputada estadual pelo Rio Grande do Sul veio representando a Fundação Maurício Grabois. A senadora Vanessa Grazziotin, Eron Bezerra, presidente estadual do PCdoB, o reitor da Ufam, Sylvio Puga, e outros convidados também participaram do evento e falaram sobre soluções para o desenvolvimento de uma região sustentável.  Em sua palestra, Manuela também fez críticas à privatização da Eletrobrás.

“É preciso pensar o que significa a privatização da Eletrobrás. Se o Brasil hoje é referência na produção de energia, a privatização dela tem um impacto significativo disso. Ela é responsável por quase metade da energia que o povo brasileiro consome. Precisamos pensar que um território tão vasto, e com baixa integração, sofre pela questão de baixa infraestrutura. E em todas as comunidades que residem em áreas que dependem do sistema público”, disse em outro ponto do discurso.

Durante coletiva, a deputada também disse acreditar no potencial turístico da região e destacou pontos sobre Manaus em sua futura campanha para o pleito de outubro, como a melhoria dos serviços básicos de Saúde e Segurança. “O Turismo é uma alternativa de desenvolvimento para o Amazonas. No Brasil, qualquer visitante ou turista pode utilizar o Sistema único de Saúde (SUS), que o Governo Temer quer acabar. Esses serviços precisam ser de qualidade, finalizou.

Manuela D’Ávila também estará em um ato político na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE), às 19h, nesta sexta-feira.

Anúncio