‘Preso importa mais que cidadão de bem’

O deputado estadual Wilker Barreto (PHS) se manifestou a respeito de reportagem publicada, nesta quarta-feira (4), pelo GRUPO DIÁRIO, sobre pagamentos do governo do Estado à Umanizzare

Manaus – Em reação à matéria do Grupo Diário de Comunicação (GDC), o deputado estadual Wilker Barreto (PHS) declarou, nesta quarta-feira (4), que no atual Governo do Amazonas sob o comando do jornalista Wilson Lima (PSC) e do defensor público Carlos Almeida (PRTB), o preso tem mais prioridade do que o “cidadão de bem”.

O GDC publicou, na quarta-feira, que o governo do Estado priorizou, nos primeiros oito meses deste ano, os repasses financeiros para a Umanizzare Gestão Prisional Privada em detrimento dos valores a serem pagos às administradoras do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Rinaldi Abdel Aziz, que cobre cerca de 500 mil habitantes na zona norte de Manaus.

“Recebi com muita tristeza aquilo que já sabíamos: no Governo do Amazonas, o cidadão de bem não é prioridade. Quando você prioriza milhões para a Umanizzare em detrimento do cidadão que precisa de cirurgia, que precisa de biopsia, isso é grave”, disse.

O deputado informou ainda eu a falta de avaliação sobre as principais necessidade da população aponta para uma “insensibilidade” do governo. Só este ano, o governo do Estado pagou R$ 124,5 milhões para a Umanizzare e deixou de repassar R$ 104,6 milhões a administradoras do Hospital da Zona Norte, que opera com 37% de sua capacidade.

“Isso (prioridade na gestão dos presos) mostra a insensibilidade desse governo, que não é de hoje, nós vamos aí há meses, denunciando o descaso, o desvio e a maldade que se faz ao povo do Amazonas. Está aí o exemplo: preso é mais importante que o cidadão de bem”, concluiu.

O governo do Estado priorizou, nos primeiros oito meses, repasses financeiros à Umanizzare (Foto: Eraldo Lopes/Arquivo-GDC)

Atrasados

O Governo do Amazonas enviou nota explicando detalhes sobre os pagamentos feitos pelo governo na área da Saúde de janeiro a setembro deste ano.

Segundo a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), os fornecedores e prestadores de serviços da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) receberam, de janeiro a agosto de 2019, o total de R$ 1.077.287.929,27 do Governo do Amazonas.

Desse montante, a Secom informou que R$ 255.804.790,19 foram destinados a quitar dívidas de 2018, deixadas pelo governo anterior. No Hospital e Pronto Socorro da Zona Norte Delphina Aziz, a atual administração encontrou oito meses de 2018 em aberto; desses, quitou cinco meses de dívidas herdadas, informou o governo.

Dos mais de R$ 1 bilhão já pagos pela administração estadual a fornecedores e prestadores de serviço, cerca de R$ 821 milhões foram para serviços prestados neste ano.

A Secom informou também que Wilson Lima determinou que a prioridade do governo é “manter a regularidade dos pagamentos dos serviços e fornecedores da área da saúde, para que a população continue a receber os serviços.”

Os valores investidos, de acordo com a Secretaria de Comunicação, demonstram a prioridade que o atual governo tem dado à saúde. Desta forma, disse a Secom, “a comparação do investimento em saúde com o pagamento de contratos para gestão prisional é inconsistente.”

Governo do Estado informou pagamentos a serviços no Delphina

De janeiro a agosto de 2019, o Governo do Amazonas informou que pagou R$ 56.246.734,67 ao consórcio responsável pela construção e manutenção do Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz. O valor é maior que o pago no mesmo período de 2018, que foi de R$ 53.182.351,11.

Ao assumir em 2019, a Secom informou que o atual governo encontrou oito meses em aberto do ano de 2018 (maio, junho, julho, agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro). Desses, cinco meses já foram pagos até junho deste ano.

Além do pagamento pela obra, o governo do Estado informou que destinou R$ 25.354.047,00 ao Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), contratado em abril deste ano para administrar o Complexo da Zona Norte, que compreende o Hospital Delphina Aziz e a UPA Campos Sales. Com a nova administração, foram abertos novos leitos de UTI e de internação e ampliado o centro cirúrgico.

O Governo do Amazonas, por meio da Secom, concluiu, informando que os investimentos possibilitaram que o Hospital Delphina Aziz realizou, até o fim de julho, 352 cirurgias no novo centro cirúrgico, ultrapassando a meta estabelecida para o período, de fazer 110 cirurgias por mês.

Anúncio