Professores do interior do AM pedem aula online e imunização

Durante Cessão de Tempo do deputado estadual Wilker Barreto, categoria explicou a greve sanitária deflagrada na última terça-feira (25)

Manaus – Defesa pela vida. Esse foi o pedido que professores do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) clamaram na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) desta quinta-feira (27), durante Cessão de Tempo do deputado estadual Wilker Barreto (Podemos). A categoria protestou contra a determinação da Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) pelo retorno das aulas presenciais da rede pública estadual nos municípios do interior do Estado e cobrou ajuda do Parlamento estadual para garantir a segurança dos profissionais da educação.

Em discurso, o professor e representante do Sinteam, Cleber Ferreira, afirmou que a greve sanitária, deflagrada pela categoria na última terça-feira (25), é um protesto de professores, merendeiros e demais profissionais da educação contra o Decreto governamental nº 43.870, de 14 de maio de 2021, que autorizou a volta de alunos às salas de aula nas cidades do interior, a partir do dia 19 de maio. A principal reivindicação da classe é a garantia da vacinação completa dos trabalhadores antes do retorno às escolas, além do respeito ao período de ciclo vacinal entre primeira e segunda dose.

Deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) (Foto: Divulgação / Assessoria)

“Nós do sindicato já colocamos que não defendemos este retorno porque entendemos que precisamos retornar com segurança aos nossos postos de trabalho. E isso só será feito com a imunização e o ciclo vacinal estabelecido. Em nota técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, provocada pelo Sinteam, deixa muito claro que o esquema vacinal constituído de duas doses só tem sua eficácia comprovada da vacina Covid-19 após o recebimento do esquema completo da vacinação”, ponderou Cleber.

O professor ressaltou, ainda, que a greve sanitária não está prejudicando o calendário de dias letivos dos estudantes e aproveitou para pedir ajuda da Casa Legislativa para mediar soluções, visando garantir a imunização completa dos professores antes do retorno às escolas. “É importante que se diga que não estamos deixando os alunos sem aula. A Assembleia do dia 25 que decidiu por uma greve sanitária é em defesa da vida. Por isso, eu quero pedir que esta Casa nos ajude a garantir para a nossa categoria esta imunização”, relatou.

Perigo da Covid

Outra preocupação da categoria é o aumento dos casos de Covid nos municípios do interior. Para a professora Mônica da Silva Santos, de Itacoatiara, o índice de novos casos da doença voltaram a ficar alarmantes na cidade, que ainda sofre com a falta de estrutura e apoio do Executivo.

“Queria que vocês tivessem uma visão ampla do perigo, Itacoatiara está com índice crescente da Covid, a sala rosa está novamente com bastante paciente lá, então a preocupação é muito grande com as vidas do interior. Todos sabem que aqui não temos UTI e que a dificuldade de locomoção é muito grande. As vidas do interior importam”, clamou Mônica.

Reunião com Seduc

Diante dos apelos dos professores, Wilker afirmou que será agendada, com apoio da deputada estadual Therezinha Ruiz (PSDB), uma reunião com Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Seduc e Sinteam para encontrar soluções em prol da categoria. “Já combinei com a deputada Therezinha para nesta semana que adentra, nos reunirmos com FVS, Seduc e Sindicato para encontrarmos um meio termo. Todo mundo quer a volta da normalidade, mas a questão pedagógica não pode estar acima da vida”, finalizou Barreto.

Anúncio