‘Promete e não cumpre’: secretário de David disse que feira seria reformada em 2021

Vereadores repercutiram na CMM, nesta terça-feira, o incêndio que atingiu a feira do Santo Antônio, na zona oeste

Manaus – O abandono e o incêndio na Feira de Santo Antônio, na madrugada de segunda-feira (4), na zona oeste de Manaus, repercutiram na Câmara Municipal de Manaus (CMM), nesta terça-feira (5). O vereador Rodrigo Guedes apresentou um vídeo que mostra o secretário de Infraestrutura de Manaus Gestão Pública, Renato Júnior, fazendo promessas de reforma no local em 2021.

(Foto: Montagem / D24am)

De acordo com o vereador Rodrigo Guedes, no dia 21 de outubro de 2021, ele fez um vídeo denunciando a alagação da feira e, segundo o vereador, o secretário Renato chamou a gravação de “videozinho de entrevista”.

As imagens que foram apresentadas no plenário mostram que no dia 15 de novembro de 2021, após uma chuva forte, a Feira do Santo Antônio ficou alagada por conta de um telhado furado. Já no dia 16 de novembro, o Secretário Renato Jr foi a feira e disse que a ida dele foi um mero acaso e que a reforma da feira iria começar em 45 dias.

“O secretário mentiu para os feirantes, simplesmente mentiu. Não há nenhuma justificativa para um atraso de dois anos e um mês que o secretario falou que em 45 dias iniciaria as obras dessa feira; No domingo, nós vimos essa feira em chamas. Um incêndio que poderia ter sido evitado. O pior é a gente saber que foi dado ontem a ordem de serviço que demonstra que essa ordem poderia ter sido dada antes. Porque aconteceu o incêndio e no outro dia foi dada. Porque não fizeram antes? Porque que só agem depois de uma tragédia acontecer na cidade de Manaus?”, inciou Guedes.

“A gente sempre vai ter que atuar desta forma? Só agindo depois do pior acontecer? Os bens dos feirantes queimaram, os bens públicos queimaram pela omissão, pela mentira do secretário que enganou durante dois anos e um mês os feirantes. As pessoas públicas não podem utilizar os cargos públicos para ficar mentindo perante a imprensa, mentido para a população, mentido para aqueles que precisam da mão amiga do poder público. Se esse incêndio não tivesse acontecido, hoje seria mais um dia que aquela feira estaria esperando a reforma prometida do ano de 2021”, completou.

O vereador Diego Afonso também relembrou que a Feira da Manaus Moderna está sendo abastecida por carros pipas, que segundo ele, é devido a situação do poço que está inundando há meses.

“A situação da feira já denunciando diversas vezes e não é só uma realidade da feira do Santo Antônio. Ela é só uma. E nada é tomando de providências. Quando um vereador fiscaliza, quando um vereador vai in loco, é o porta voz da população. Falas desastrosas de gestores que estão ali para representar o povo não respeitam. Esses gestores tem que parar com a politicam e trabalhar é isso que a gestão de Manaus precisa, não é de gestores de internet ou de mídia. Agora parece que ficou mais fácil mostrar que faz as coisas pelo Instagram e pelas redes sociais”, disse.

Diego Afonso também falou do secretário Clécio Freire que esteve na CMM, nesta terça-feira (5), para apresentar a proposta da nova operação de crédito da Prefeitura de Manaus no valor de R$ 580 milhões.

“É admirável que secretários venham nessa casa discutir matérias sobre projetos, sobre orçamentos. O que nos queremos de fato é que toda a promessa seja cumprida. Nós queremos é que melhore sim a condição dos feirantes e tenha de fato uma melhoria no seu dia a dia”, disse.

Após a fala de Diego Afonso, Rodrigo Guedes enfatizou que “aproveitador é quem vai para feira e deixa dois anos os feirantes esperando e só vão ter agora o serviço por conta de uma tragédia.”

O vereador Capitão Carpê falou sobre o secretário Renato Júnior criticar o trabalho dos vereadores por meio das redes sociais sendo que ele também usa as mídias como instrumento de trabalho.

“O secretário vai no local, prometer e não cumprir. Quando você promete algo que não cumpre, além da mentira, você brinca com os sentimentos das pessoas. Há dois anos o secretário foi nessa feira e prometeu melhorias para pessoas que merecem respeito. Um local insalubre que não trazia segurança por aquilo que poderia ter sido antecipado pela prefeitura. Se assinaram a ordem de serviço em 2023, porque não assinaram em 2021? Foram vários vereadores lá fazer denúncia. Aí o secretário chega lá se aproveitando da situação crítica e caótica daqueles trabalhadores, de forma arrogante, critica quem quer fazer ‘politicagem’. Ele desmerece o trabalho do vereador que utiliza das redes sociais que é um instrumento de trabalho. Ou seja, o mesmo instrumento que ele criticou é o mesmo que ele usa. Agora possa ser que a prefeitura se antecipe a tragédia e não esperar o caos acontecer como tem sido para que aí sim possa tomar uma decisão. A população de Manaus não é palhaça, a população merece respeito e esse parlamento precisa ser respeitado”, disse.

Após ter seu primeiro pedido de empréstimo negado de R$ 600 milhões junto ao Banco do Brasil, a prefeitura de Manaus enviou um novo Projeto de Lei (PL) para a Câmara Municipal de Manaus (CMM) no valor de R$ 580 milhões. A tramitação em urgência foi aprovada, nesta segunda-feira (4), e a votação deve ocorrer na quarta-feira (6).

Veja vídeo:

Anúncio