PT prepara agenda política

A ideia do Partido dos Trabalhadores é organizar o máximo possível de viagens para o ex-presidente Lula antes do fim deste ano

São Paulo – Mesmo antes de terminar o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o cumprimento da pena após prisão em segunda instância, dirigentes do PT começaram a discutir uma agenda política para Lula seguir, caso seja autorizado a deixar a prisão.

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffoman, disse que a campanha ‘Lula Livre’ continuará até que a condenação do ex-presidente seja anulada (Foto: Reprodução)

A ideia é organizar o máximo possível de viagens antes do fim deste ano. Segundo a deputada Gleisi Hoffmann, presidente nacional do partido, mesmo que Lula saia da prisão, o PT vai continuar batendo na tecla do ‘Lula livre’ até que o ex-presidente tenha a condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro anulada.

Os petistas devem fazer pressão pelo julgamento da ação que pede a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro.

Os petistas acreditam que a primeira aparição pública de Lula será na vigília que foi montada em um terreno na frente da superintendência da PF em Curitiba em abril do ano passado, quando o ex-presidente começou a cumprir pena. A previsão é que seja uma aparição rápida. Depois disso, Lula deve embarcar para São Paulo, segundo o plano que está sendo debatido pelo PT nos últimos dias.

O grande palco político para Lula, no entanto, deve ser o Congresso Nacional do PT, entre 22 e 24 de novembro na cidade de São Paulo.

Desde quinta-feira (7), a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, o tesoureiro, Emidio de Souza, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, e o dirigente nacional do Movimento dos Sem Terra, João Paulo Rodrigues, estão na capital do Paraná à espera do presidente. Gilberto Carvalho, advogados petistas e outras lideranças foram para Brasília, acompanhar o julgamento do STF.

Anúncio