Reunião discute soberania e cuidados aos povos da região

A Câmara dos Deputados realizou uma sessão solene para celebrar o Dia Internacional da Amazônia e discutir propostas que garantam o desenvolvimento da região

Brasília – Em comemoração ao Dia Internacional da Amazônia, celebrado nesta quinta-feira (5), a Câmara dos Deputados realizou uma sessão solene para discutir propostas que garantam o desenvolvimento da região amazônica sem deixar de lado a preservação ambiental.

Vários órgãos e instituições participaram da sessão, como representantes dos ministérios do Meio Ambiente, da Defesa, Saúde e da Secretaria do Meio-Ambiente do Amazonas (Foto: Divulgação)

A reunião foi organizada pela Frente Parlamentar em Defesa da Amazônia, presidida pelo deputado federal do Amazonas, Delegado Pablo. Vários órgãos e instituições participaram da sessão, como representantes dos ministérios do Meio Ambiente, da Defesa, Saúde e da Secretaria do Meio-Ambiente do Amazonas, entre outros.

O ponto comum nos discursos foi a defesa da soberania da Amazônia brasileira. O tema ganhou importância após o governo francês defender, durante encontro dos sete países mais ricos do mundo (G7), que a Amazônia deve ser internacionalizada.

“Existe um interesse de países europeus em tornar a Amazônia um patrimônio internacional, ou seja, o Brasil perderia o controle absoluto da região”, explicou o deputado Pablo. “Amazônia pertence ao povo brasileiro, e ninguém mais”, afirmou.

O Delegado Pablo ressaltou que cabe ao povo brasileiro decidir o que fazer com o território brasileiro, o que inclui a Amazônia. “Estamos sempre abertos ao diálogo e à ajuda internacional, mas jamais abriremos mão da soberania da região”, destacou.

O ministro da Defesa, general Guilherme Teófilo, ressaltou que as Forças Armadas estão há décadas na Amazônia, contribuindo com os povos da região para manter a preservação da floresta e de seus recursos.

As dificuldades vividas pelas comunidades que habitam a Amazônia também foram expostas na reunião. “A preservação da floresta passa pelo cuidado e atenção aos povos que vivem na Amazônia”, sentenciou o secretário de Meio Ambiente do Amazonas, Eduardo Taveira.

“Por causa das queimadas, a Amazônia virou notícia em todo mundo. Queremos que a mídia mostre também as dificuldades vividas pelo caboclo que vive no interior do Amazonas”, criticou Eduardo Taveira.

Ao concluir a reunião, Delegado Pablo destacou que todos querem a Amazônia preservada, mas esse custo é pago exclusivamente pelos cidadãos brasileiros que moram na região. “São brasileiros que pagam sozinhos esse custo. São pessoas que merecem a mesma qualidade de vida dos moradores de grandes cidades, porém, sofrem no esquecimento e na miséria”, concluiu Pablo.