Roberto Cidade garante apoio da ALE aos membros da CPI da Amazonas Energia

O início dos trabalhos da CPI ficou suspenso por mais de um mês por conta de uma liminar da Justiça concedida à empresa

Manaus – O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE), deputado Roberto Cidade (PV), participou, na manhã desta quarta-feira (13), da reunião preparatória para o início dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Amazonas Energia. Na ocasião, ele reafirmou apoio total da Casa Legislativa aos membros do colegiado, presidido pelo deputado Sinésio Campos (PT).

O presidente da ALE, deputado Roberto Cidade (PV), participou, na manhã desta quarta-feira (13), da reunião preparatória para o início dos trabalhos da CPI da Amazonas Energia (Foto: Divulgação)

“A CPI já inicia os trabalhos hoje. Essa CPI é extremamente importante para gente saber o que está acontecendo realmente com a conta de energia e com a falta de energia, sobretudo no interior. Eu, como presidente, darei todo o suporte necessário para que essa CPI cumpra seu papel”, afirmou.

O início dos trabalhos da CPI ficou suspenso por mais de um mês por conta de uma liminar da Justiça concedida à empresa. Na última segunda-feira (11), no entanto, o desembargador Paulo César Caminha de Lima revogou o Mandado de Segurança que paralisou e início da Comissão.

Além do presidente Sinésio, a CPI tem como membros os deputados Carlinhos Bessa (PV), como relator, Dermilson Chagas (sem partido), Fausto Jr (MDB) e Cabo Maciel (PL).

Suspensão

A Comissão Parlamentar de Inquérito foi aberta em setembro e, a seguir, suspensa a pedido da concessionária, com o argumento de que o requerimento que deu origem à CPI seria genérico, não tendo sido delimitado de onde, quando e tempo de duração dos eventos que seriam investigados. Foi então ajuizado pela Aleam um recurso de depreciação da decisão monocrática proferida anteriormente.

A demora na análise do recurso da Assembleia se deu porque o relator intimou a Amazonas Energia a recolher as custas do processo e corrigir a petição inicial, que apresentava algumas inconsistências, num prazo de 15 dias úteis. Esse prazo terminou no dia 8 de outubro.

Anúncio