São Gabriel da Cachoeira é acesso difícil para as urnas eletrônicas

Comunidade Querari, no extremo oeste de São Gabriel da Cachoeira, está entre os locais de acesso mais distante entre as 8 mil urnas destinadas aos 2,48 milhões de eleitores, no domingo

Manaus – As seções da Escola Imaculada Nossa Senhora da Conceição, situada na Comunidade Querari, no extremo oeste de São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros a noroeste de Manaus), estão entre os locais mais distante e de difícil acesso para transportar as 8 mil urnas para os 2.428.098 eleitores do Amazonas aptos a votar, no próximo domingo (7).

O transporte das urnas vai custar nestas eleições R$ 1,5 milhão. (Foto: Divulgação/TSE)

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), por conta da geografia peculiar do Amazonas, o transporte das urnas vai custar nestas eleições R$ 1,5 milhão, que contarão com o apoio logístico das Forças Armadas.

“As urnas saem de Manaus (depósito de urnas) rumo aos mais diversos locais de votação. Chegando ao destino são desembarcadas e ficam sob a responsabilidade do Exército e/ou da Polícia Militar” informou o Tribunal.

Apesar das diferenças geográficas do Estado onde o transporte será feito tanto por terra quanto via fluvial e aérea, o setor técnico do Tribunal destacou está garantido o envio e das urnas e realização da votação.

“Não há obstáculo intransponível quando se trata do transporte das urnas, mesmo porque o TRE-Amazonas tem bastante expertise no que faz. Há anos realizando eleições no Amazonas, não há adversidade que não seja objeto de estudo e análise pela equipe técnica do Tribunal”, comunicou.

Para evitar transtornos nos locais de votação, o Tribunal informou que preparou equipes para solucionar problemas técnicos nas urnas e na transmissão dos votos.

“O TRE dispõe de técnicos de transmissão que são treinados à exaustão para lidar com todos os tipos de adversidades. Portanto, qualquer que seja o problema, não há situação que não possa ser resolvida”, destacou.

O TRE comunicou que a Secretaria de Tecnologia da Informação, por meio da Comissão Especial para Procedimento de Transmissão de Dados, realizou o treinamento dos operadores de transmissão que atuarão nas eleições.

De acordo com as informações, são quase 230 técnicos que estão capacitados para atender em áreas rurais, ribeirinhas e aldeias indígenas que não contam com o serviço de internet ou telefonia. O deslocamento desse efetivo para as regiões mais remotas do Estado começou no dia 29 de setembro.

“Os profissionais são responsáveis por transmitir, via satélite, os dados das urnas eletrônicas à Justiça Eleitoral. Este ano, o Amazonas utilizará 236 Bgans, que são equipamentos de transmissão disponibilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para utilização em regiões distantes e de difícil acesso. O uso dos Bgans proporciona condições para que a totalização dos votos ocorra no mesmo dia das Eleições”, informou o TRE.

Anúncio