Secretário da SES terá que se explicar na ALE

O secretário de Saúde do Amazonas (SES) irá se explicar a preparação do Estado para uma possível 3ª onda da Covid-19

Manaus – O secretário de Saúde do Amazonas (SES-AM), Marcellus Campêlo, e o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Cristiano Fernandes, vão explicar, em audiência pública virtual da Comissão de Saúde e Previdência da Assembleia Legislativa do Estado (CSP-ALE), a preparação do Estado para uma possível 3ª onda da Covid-19. O biólogo e pesquisador Lucas Ferrante, que alerrtou sobre o novo surto, também estará no evento. A reunião ocorre nesta segunda-feira (5), às 10h, com transmissão pelas redes sociais e Youtube da Assembleia.

Gestores vão precisar informar a população sobre o andamento do combate a Covid-19 no Amazonas. (Foto: Hudson Fonseca/Aleam)

Convidados pelo membro da CSP, deputado estadual Wilker Barreto (Podemos), por meio de convite aprovado na Casa Legislativa, no último dia 23 de março, os gestores vão precisar informar a população sobre o andamento do combate ao vírus, e revelar quais estratégias serão adotadas num cenário de iminente reinfecção.

“Não é de agora que alertam o Amazonas para uma terceira onda. O secretário e o diretor da FVS precisam deixar o povo amazonense preparado. Não podemos ser pegos de calça curta, como foi na segunda onda. Queremos saber como está o interior, os leitos de UTI’s (Unidades de Terapia Intensiva) … Se o governo tiver competência, ele precisa deixar a população preparada”, afirmou Barreto.

O pesquisador Lucas Ferrante, que compõe o grupo de pesquisadores que previu a segunda onda no Amazonas, com quatro meses de antecedência, e alerta para uma nova, estará novamente na Assembleia. “Manaus teve muitos erros ao lidar com a pandemia que foi quase de forma proposital. Poderia ter sido resolvido esse problema com meses de antecedência se nossos estudos tivessem sido considerados. Nesse momento que o Brasil vive com segundas e terceiras ondas em várias capitais, em vários estados, uma terceira onda para Manaus pode ser ainda mais devastadora”, disse o cientista em entrevista.

Devem participar, além dos membros titulares da comissão, o Ministério Público do Amazonas (MP-AM), Defensoria Pública (DPE-AM), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e Fiocruz.

CPI
Em março, foi ingressado um pedido de instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na ALE para investigar suspeitas de improbidade administrativa, malversação de recursos públicos e de superfaturamento em atos de governo do estado, incluindo a contratação do aluguel do Hospital da Nilton Lins.

Anúncio