Senador cobra convocação de Wilson Lima na CPI da Pandemia

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) questionou quando serão convocadas as autoridades estaduais e municipais a respeito das irregularidades na utilização dos repasses federais para o combate da Covid-19 no Amazonas

Manaus – O senador Marcos Rogério (DEM-RO) cobrou a convocação do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), na manhã desta quarta-feira(12), durante a 7ª reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado.

O senador questionou quando serão convocadas as autoridades estaduais e municipais a respeito das irregularidades na utilização dos repasses federais para o combate da Covid-19 no Estado.

Marcos Rogério cobrou a convocação de Wilson Lima na CPI da Pandemia do Senado (Foto: Divulgação / Agência Senado)

Até outubro do ano passado foram realizadas 51 operações da Polícia Federal, abrangendo 18 Estados brasileiros, tendo como alvos as prefeituras e os governos estaduais. Isso representa a movimentação de cerca de R$ 2 bilhões em recursos públicos destinados ao combate do coronavírus. “Há suspeita de superfaturamento na aquisição de insumos para prevenção de combate à pandemia, fraude nas compras de respiradores, superfaturamento em contratos de compras de máscaras, dentre outros”, disse o senador.

Marcos Sérgio destacou o caso do Amazonas, citando a operação Sangria, deflagrada em 2020 pela Policia Federal, que prendeu secretários de Estado, incluindo a então secretária de Saúde Simone Papaiz e o ex-secretário da pasta, Rodrigo Tobias. As investigações também identificaram a atuação de empresários em contratos considerados fraudulentos, do Governo do Amazonas.

“Foi pedida a prisão do próprio governador (Wilson Lima) a pedido de afastamento do cargo. Estamos diante de acusações gravíssimas. Segundo a Polícia Federal, os ilícitos envolvem desvios de recursos públicos da ordem de, no mínimo, R$ 3 milhões”, afirmou Rogério.

O parlamentar filiado ao Democratas de Rondônia classificou a situação do Amazonas como “gravíssima” e que há grandes elementos para investigação, que está sendo conduzida pela CPI.

Anúncio