STF coloca em sigilo investigação sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

A relatora da investigação é a ministra Cármen Lúcia

Brasília – A investigação que apura uma possível interferência do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), na operação da Polícia Federal que ocasiou na prisão do ex-ministro de Educação, Milton Ribeiro, foi colocada sob sigilo pelo Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira (30). A relatora do inquérito é a ministra Cármen Lúcia.

(Foto: Reprodução Instagram @jairmessiasbolsonaro)

A partir dessa decisão, as diligências e os atos processuais passam a tramitar com restrição de acesso.

O sigilo foi aplicado após o juiz federal Rento Borelli, da 15ª Vara Federal de Brasília, encaminhar os autos do processo para o Tribunal.

A PF apura se Bolsonaro teria vazado informações ao ex-ministro alertando de que ele poderia ser alvo da operação, já que em conversa telefônica, Milton Ribeiro disse ter sido informado pelo presidente de que poderia ser alvo de “busca e apreensão”.

Anúncio