Subprocuradora comenta que PF foi recebida a tiros em casa de empresário em Manaus

Em sessão do STJ, subprocuradora STJ Lindôra Maria Araújo disse ainda que, em 30 anos, essa foi a primeira vez que ela viu um tiroteio ao ser realizado em uma ação da Polícia Federal

Manaus – A segurança do empresário Nilton Júnior, dono do hospital que tem contrato investigado pela Polícia Federal (PF), recebeu os agentes a tiros, na manhã desta quarta-feira (2), durante a 4ª fase da operação Sangria, no Amazonas. O empresário se refugiou no Consulado da Suécia.

(Foto: Reprodução/You Tube)

A subprocuradora-geral do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Lindôra Maria Araújo, comunicou o episódio à Corte Especial, em sessão realizada na manhã desta quarta-feira. Durante a reunião, ela detalhou a situação vivida pelos policiais federais ao tentarem cumprir mandados de prisão e busca e apreensão.

“Teve um incidente bastante sério que eu queria comunicar à Corte: a Polícia Federal foi recebida a tiros, pelo filho do (empresário) Nilton Lins. Foi uma situação bastante constrangedora e perigosa lá em Manaus”, disse Lindôra.

A subprocuradora disse ainda que, em 30 anos de carreira, essa foi a primeira vez que a Polícia Federal foi recebida a tiros durante uma ação.

Segurança

De acordo com as primeiras informações, o advogado de Nilton Júnior disse que a segurança atirou para cima com a intenção de defender o empresário. vítima de assalto no ano passado.

Anúncio