Susam faz aditivo de R$ 37,2 milhões com Segeam

Portal da Transparência revela que na gestão Wilson Lima, a empresa já recebeu R$ 63,7 milhões, sendo R$ 41,5 milhões neste ano e R$ 22,5 milhões em 2019. A empresa deve faturar mais de R$ 100 milhões até 2021

Manaus – Na última segunda-feira (3), a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) publicou terceiro termo aditivo, no valor de R$ 37,2 milhões de contrato assinado com a empresa Segeam Serviços de Enfermagem Geral e Especializados do Amazonas Ltda. para serviços de enfermagem pelo período de 12 meses.

Com o aditivo a gestão estadual irá desembolsar, exatamente, R$ 37.250.440, segundo extrato assinado pelo secretário de Saúde Marcellus Campêlo.

O aditivo foi assinado pelo secretário de Saúde Marcellus Campêlo (Foto: Rodrigo Santos/Susam/Divulgação)

Chama atenção os números milionários desembolsados pela Susam em pagamento a empresa Segeam. Dados do Portal da Transparência do governo do Estado revelam que, desde o início da gestão Wilson Lima, a empresa já recebeu R$ 63,7 milhões, sendo R$ 41,5 milhões apenas neste ano e R$ 22,5 milhões em 2019. Com o valor do aditivo, a empresa deve faturar mais de R$ 100 milhões até julho de 2021.

A reportagem teve acesso ao Termo de Execução de Serviços referente a janeiro deste ano que cita os serviços realizados no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto. O documento revela que, naquele mês, a empresa prestou 246,25 plantões diurnos e 215,42 plantões noturnos pelos quais a empresa faturou R$ 301 mil, apenas em janeiro e na referida unidade de saúde.

No último dia 23, o programa AMAZONAS DIÁRIO, do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC) veiculou reportagem citando que a Segeam faturou valores milionários e, ainda assim, atrasa salários de profissionais ao não cumprir acordos trabalhistas com funcionários terceirizados.

Em agosto do ano passado, a empresa foi denunciada ao Ministério Público do Amazonas (MP-AM) por “incapacidade técnica de profissionais que prestam serviços de enfermagem” para prestar serviços à Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

Segundo a reportagem divulgada pelo AMAZONAS DIÁRIO, “apesar dos números milionários, em setembro de 2019, funcionários da Segeam estavam com quatro meses de salários atrasados. Desde 2018 a empresa e alvo de manifestações cobrança pelos salários atrasados”.

Em nota encaminhada ao GDC, ainda em julho, a empresa disse que “o MP-AM tem feito seu papel ao apurar a denúncia, mas reforça que todos os profissionais contratados pela Associação são especializados para atuarem nas atividades às quais foram designados, seguindo rigorosamente as exigências contidas nos processos legais para a prestação dos serviços”.

Sobre os valores contratuais, a Segeam disse que os serviços prestados estão dentro da legalidade exigida pela administração pública.

Anúncio
Anúncio