Visita à Arábia Saudita marca nova era nas relações com o Brasil, diz Lula

Em evento, Lula falou sobre o potencial brasileiro para investimentos e compromisso no combate à crise climática

Arábia Saudita –  O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, participou, nesta quarta-feira (29), da sessão de encerramento da Mesa Redonda Brasil-Arábia Saudita, e afirmou que um dos principais objetivos do Governo Federal será intensificar relações comerciais e parcerias bilaterais para um desenvolvimento econômico conjunto, com geração de emprego e renda, priorizando também a transição ecológica.

(Foto: Ricardo Stuckert/PR)

“Aos nossos ministros e empresários que estão aqui: a gente pode sonhar, em 2030, ter uma balança comercial de um trilhão de dólares. Quem pode dizer que não é verdade? Somos nós, de acordo com a nossa capacidade de trabalho”, disse Lula.

Em seu discurso, o presidente destacou que o Brasil assumirá a responsabilidade pelo tamanho e importância que tem na geopolítica mundial, e também destacou aos empresários sauditas as áreas em que podem ser feitos investimentos como transição energética, setor financeiro, tecnologia e agricultura.

“Nós temos que sonhar grande para realizar as políticas grandes, do tamanho da Arábia Saudita e do tamanho do Brasil. Eu quero dizer para vocês que volto para o Brasil com a certeza de que hoje esta reunião significa a construção de uma nova história na relação entre Brasil e Arábia Saudita”, completou.

Energia verde

Sobre combater a crise climática e investir em fontes renováveis de combustíveis, o presidente lembrou que o compromisso precisa ser de todos os países e que o Brasil está trabalhando para cumprir suas metas. “Vocês já sabem que nossa energia elétrica é quase 90% totalmente renovável. E o potencial do Brasil em outras energias é muito grande e nós queremos construir essa parceria com vocês. É que sejam sócios do Brasil no desenvolvimento dessa nova matriz energética que o mundo precisa, que o mundo sonha e que nós podemos oferecer”, afirmou.

Lula disse que daqui a dez anos o mundo vai dizer que, se a Arábia Saudita é o país mais importante na produção de petróleo e de gás, o Brasil será chamado de Arábia Saudita da energia verde, da energia renovável. “Porque é pra isso que nós estamos trabalhando. Nós temos alguns compromissos firmados”, disse. Atualmente, os sauditas possuem as maiores reservas mundiais de petróleo, exportando para diversos continentes.

“Nós vamos fazer todo o possível para que a gente faça do Brasil o centro do mundo na produção de energia alternativa. Nós precisamos todos trabalhar com muita responsabilidade para descarbonizar o planeta para que a gente possa viver de forma mais digna, com melhor qualidade de vida”, completou.

Por fim, o presidente convidou os empresários sauditas a se aproximarem do Brasil. “É esse desafio que nós queremos fazer aos nossos amigos da Arábia Saudita: que vocês construam parcerias para gerar desenvolvimento no Brasil, mas também na Arábia Saudita, gere empregos no Brasil e na Arábia Saudita”.

Anúncio