Mundo se transforma com surgimento de doença altamente contagiosa

A pandemia do novo coronavírus afetou o mundo, com prejuízos econômicos e sociais. Além das mortes, aconteceu o colapso no sistema de saúde em várias cidades, pelo potencial de alta contaminação

Manaus – A pandemia do novo coronavírus afetou o mundo, com prejuízos econômicos e sociais. Além das mortes ocorreu o colapso no sistema de saúde em várias cidades, pelo potencial de alta contaminação da doença. No plano econômico, foi necessário o isolamento social para evitar a propagação da doença. A medida resultou em uma das mais graves crises, com a paralisação de várias atividades.

Classificada Sars-CoV-3 ou como Covid-19 pela organização Mundial da Saúde (OMS) em 11 de fevereiro deste ano, a pandemia impôs uma série de medidas de proteção que impactam diretamente no cotidiano das populações, exigindo, sobretudo, o distanciamento social e várias restrições que mudaram a rotina do mundo e trouxeram um novo normal. As pessoas tiveram que criar novos hábitos e conviver com a doença.

O isolamento social resultou em uma das mais graves crises econômicas, com a paralisação de várias atividades (Foto: Max Peixoto / AE)

Desafios

O mundo pós-pandemia traz muitas interrogações, principalmente sobre como a humanidade vai encarar as dificuldades e se vai conseguir se desenvolver como antes, pois ainda está em acesso à vacina.

Falta menos de um mês para o ano acabar, mas 2020 já ficou marcado pela Covid-19. O vírus surgiu na China, se espalhou pelo mundo e infectou milhões e matou milhares de pessoas ao redor do planeta. A doença provocou o colapso de saúde em vários países, incluindo o Brasil. Muitos Estados, como o Amazonas, sofreram com falta de leitos. Já em Manaus o sistema funerário e hospitalar enfrentou as consequências da evolução rápida da doença.

Primeiros alertas

No fim do ano de 2019 chegaram os primeiros alertas. No dia 31 de dezembro do ano passado, autoridades chinesas emitiram o primeiro alerta a Organização Mundial da Saúde (OMS), sobre uma série de casos de pneumonia desconhecida na cidade de Wuhan. Já no dia seguinte, A agência americana para a Vigilância e Prevenção de Doenças (CDC) afirmou que um grande mercado de peixes e mariscos em Wuhan, aparentemente ligado às primeiras infecções, havia sido fechado. Já no dia 09 de janeiro, as primeiras análises chinesas apontaram que a pneumonia era causada pelo novo coronavírus. Dois dias depois a China anunciou a primeira morte.

Vírus se espalha e planeta é impactado com a contaminação

O vírus não ficou restrito a China. No dia 13 de janeiro, uma mulher da Tailândia foi diagnosticada com o a Covid-19, quando voltava de uma viagem de Wuhan. Um sinal de alerta foi ligado no mundo que começou a monitorar os aeroportos e pessoas que vinham da China. Os Estados Unidos reforçaram as fiscalizações no aeroporto de Nova York, que recebia voos diretos de Wuhan. No dia 20 de janeiro foi comprovada a transmissão do vírus por humanos e as infecções se espalharam por vários lugares da China. No dia 21 de janeiro, no estado de Washington, um homem de 30 anos foi diagnosticado com o vírus. Ele teria viajado na semana anterior a cidade chinesa onde foi detectado os primeiros casos da doença.

O caso americano fez com que o mundo tomasse precauções. Na Europa, alguns países começaram a monitorar os voos e na Cidade de Wuhan, o uso de máscaras começou a ser obrigatório na cidade chinesa no dia 22 de janeiro. No dia seguinte, a cidade chinesa foi isolada do mundo, quando três e aviões que sairiam do local foram suspensos. A capital Pequim restringiu o acesso aos turistas. Mesmo assim a OMS alertou que só a China estava em estado de Emergência e que era cedo para o restante do mundo se preocupar.

No dia 24 de janeiro, mais de 40 milhões de pessoas foram confinadas na província de Hubei, habitada por quase 60 milhões de habitantes. No mesmo dia, 3 casos foram confirmados na França, primeiro país com infectados da Europa. No dia 27 de janeiro a primeira morte foi anunciada em Pequim. O Prefeito de Wuhan admitiu ter escondido dados sobre a doença e renunciou o cargo. No dia 28 de janeiro, Japão e Alemanha anunciaram casos de pessoas que não viajaram para a China. No mesmo dia o Brasil investigava três casos de suspeita de coronavírus e disparou o alerta do vírus chegar ao País.

Anúncio