Abril registrou queda na abertura de comércios; Junta comercial do estado afirma que efeitos no Amazonas são expressivos