Acidentes com cílios postiços durante exames são uma realidade

De acordo com o oftalmologista Mauro Brandão, o problema é que o alongamento dos cílios pode causar um efeito parecido com o de metal no microondas

Manaus – Acidentes com cílios postiços durante a realização de exames radiológicos ganharam destaque nas mídias sociais nas últimas semanas. Várias imagens de pessoas que tiveram os olhos queimados durante procedimentos, como ressonância magnética, ‘viralizaram’ na internet e o debate ganhou a atenção de médicos e especialistas.

De acordo com o oftalmologista Mauro Brandão, da Clínica Vision, o problema é que o alongamento dos cílios pode causar um efeito parecido com o de metal no microondas. “Cílios com imãs também podem causar sérios problemas durante exames radiológicos. Maquiagem à base de ferro não chega a causar queimaduras, mas pode atrapalhar o resultado do exame”, destacou Brandão, que é especialista em plástica ocular.

Alongamento de cílios são feitos com frequência (Foto: Divulgação)

O ideal é retirar todos os fios artificiais dos olhos antes da realização de exames radiológicos ou mesmo de cirurgias. A permanência do ‘acessório de beleza’ é um risco para o paciente, pois o material plástico tende a derreter durante os exames e causar queimaduras severas em torno do globo ocular.

O acidente acontece quando materiais usados na composição dos fios plásticos e até mesmo na cola usada para fixá-los contêm metais. Quando essas substâncias interagem com as máquinas utilizadas em cirurgias e ressonâncias o resultado pode ser extremamente danoso ao paciente.

Para evitar o pior, é aconselhável que o paciente informe o médico sobre os procedimentos estéticos pelos quais tenha passado, principalmente em se tratando de exames radiológicos.