Anvisa e farmacêutica discutem uso emergencial de pílula anti-Covid

Farmacêutica norte-americana disse que deve enviar em breve a solicitação para que o uso do molnupiravir seja permitido no Brasil

São Paulo – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o laboratório norte-americano Merck Sharp & Dohme (MSD) se reuniram nesta sexta-feira (19) para discutirem o pedido de autorização para uso emergencial do molnupiravir, pílula anti-Covid desenvolvida pela farmacêutica.

Anvisa e farmacêutica discutem uso emergencial de pílula anti-Covid (Foto: Divulgação / Merck)

Em nota, a agência informou que a MSD afirmou que a solicitação será apresentada em breve, mas não indicou a data exata. “O prazo de avaliação da Anvisa tem início somente a partir do recebimento formal do pacote de dados e informações completas sobre o medicamento”, diz o comunicado.

O molnupiravir é um remédio antiviral desenvolvido como uma das alternativas para tratar a infecção pelo coronavírus. O objetivo é realizar o tratamento via oral, por meio de pílulas, no início da infecção. No corpo, a substância age de maneira a inibir a replicação do vírus no organismo.

A MSD informou que o medicamento pode reduzir em cerca de 50% o risco de hospitalização e morte pela Covid-19. O Reino Unido foi o primeiro a aprovar o uso do antiviral. A EMA (Agência Europeia de Medicamentos) passou a permitir nesta sexta-feira (19) que seus Estados-membros utilizem a pílula, de acordo com critérios próprios

Anúncio