Apesar de raro, câncer de mama evolui mais rápido em homens; veja sintomas

Doença representa apenas 1% dos casos entre homens, sendo mais comum a partir dos 60 anos

São Paulo – Em 2021, mais de 66 mil novos casos de câncer de mama foram diagnosticados, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Desse total, a estimativa é que apenas 1% tenha sido entre homens, que, apesar da rara incidência, podem experienciar uma evolução mais rápida do tumor, de acordo com o mastologista Alexandre Pupo.

Doença representa apenas 1% dos casos entre homens, sendo mais comum a partir dos 60 anos (Foto: Divulgação)

“A princípio, a doença é muito semelhante em homens e mulheres. O processo em homens se dá por uma mutação de um gene e, pelo fato de o tamanho da mama ser muito menor, o câncer evolui muito mais rápido”, explica.

Segundo Pupo, o câncer de mama se dá por um crescimento desordenado e contínuo de células da glândula mamária, que, com o passar do tempo, ganham a capacidade de extrapolar os limites do órgão e podem se espalhar pelo corpo. Nos homens, a doença ocorre pela mutação do gene BRCA2 e representa 1 de cada 100 diagnósticos.

O especialista ressalta que a doença é mais comum em homens na faixa etária entre 60 e 85 anos, porque, devido à idade avançada, o corpo se torna propenso a mutações genéticas.

“A incidência de casos é muito menor em homens por causa do menor tecido mamário, havendo muito menos células que possam sofrer mutações, além dos estímulos sexuais femininos, como o estrogênio, que é produzido em quantidade muito inferior em homens”, esclarece.

Prevenção

Pupo recomenda que, caso o homem sinta a existência de um nódulo, mesmo que pequeno, assim como secreções no mamilo, busque um mastologista, médico especializado em mama, a fim de realizar exames para diagnosticar uma possível presença de câncer.

O especialista afirma que, para homens em cuja família haja alguém que tenha tido câncer antes dos 50 anos, é aconselhável fazer um acompanhamento genético. “Nesse caso, é necessário buscar um oncogeneticista, para avaliar quais os riscos de desenvolvimento de um câncer”, diz.

Em 2019, 227 homens morreram em decorrência do câncer de mama, indicam os dados do Inca. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece, em 317 unidades hospitalares especializadas espalhadas pelo Brasil, tratamento gratuito a portadores da doença.

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, segundo o Inca. Pupo recomenda a busca de uma dieta equilibrada, assim como a prática de exercícios físicos, para evitar o surgimento da doença no corpo.

“Para prevenir o câncer de mama, são recomendadas medidas gerais de qualidade de vida, como manter uma dieta equilibrada, com baixa taxa de gordura, sem alimentos muito passados e tostados, evitar ambientes altamente poluídos e procurar evitar o sobrepeso, praticando atividades físicas e aeróbicas. No caso dos homens, o recomendado é atentar às mudanças do corpo, e as mulheres precisam realizar os exames de prevenção anuais”, explica.

Tratamento

O tratamento do câncer de mama em homens é similar ao realizado em mulheres. Pupo afirma que a grande diferença está na questão estética de remoção da mama.

“Do ponto de vista cirúrgico, é muito similar, é utilizada a mesma técnica para a remoção de mama em homens e mulheres, com a remoção da aréola, do mamilo e de todo o tecido mamário. A principal questão envolvida é a estética — a percepção de gênero ligada à mama é muito menor em homens do que em mulheres”, ressalta.

Anúncio