Após transplante de Faustão, Ministério da Saúde explica critérios da cirurgia

Entre os questionamentos na internet, um dos principais foi com relação à rapidez com que Faustão conseguiu um transplante

São Paulo – O Ministério da Saúde utilizou seu perfil no X (antigo Twitter) neste domingo (27) para esclarecer as dúvidas da população sobre o transplante de órgãos, após as polêmicas geradas pelo procedimento realizado no apresentador Fausto Silva no mesmo dia.

(Foto: Reprodução/ Instagram)

Entre os diversos questionamentos nas redes sociais, um dos principais foi com relação à rapidez com que Faustão conseguiu um transplante de coração. Alguns internautas chegaram a sugerir que o apresentador teria ‘furado a fila’ para conseguir um órgão antes de outras pessoas.

No fio publicado, a pasta do governo federal explicou que a lista de transplantes ‘é única, e vale tanto para os pacientes do SUS quanto para os da rede privada’. O ministério também assegurou que, como controlador de toda a estrutura para transplantes, busca garantir que as cirurgias sejam realizadas em pé de igualdade em ambas as redes.

Em seguida, o Ministério da Saúde explicou que os critérios utilizados para gerenciar as filas de espera são estritamente técnicos. Eles levam em conta: o tipo sanguíneo do paciente; as compatibilidades de peso, altura, e genética; além dos critérios de gravidade – que variam de acordo com o órgão.

Caso as variantes técnicas sejam muito semelhantes, a ordem de chegada dos pacientes é usada para desempate. Contudo, indivíduos em estado crítico têm prioridade. ‘No caso do apresentador Fausto Silva’, continuou a pasta, ‘em razão de seu estado grave de saúde, ele recebeu um coração após constatada a compatibilidade necessária para o procedimento’.

Em resposta ao fio, diversos internautas elogiaram a iniciativa do ministério em esclarecer a forma como os transplantes de órgãos funcionam no país, e reforçaram a necessidade de conscientizar a população a respeito do tema para evitar a propagação de ‘achismos’.

O transplante de órgãos no Brasil

O Ministério da Saúde também aproveitou o fio no X para compartilhar dados a respeito do transplante de órgãos no país. Segundo a pasta, o Brasil tem o maior sistema público do tipo no mundo todo, sendo que, só na última semana (de 19 a 26 de agosto), outros 11 pacientes além de Faustão foram submetidos a transplantes de coração.

Já no primeiro semestre de 2023, foram feitas 206 cirurgias como a realizada pelo apresentador neste domingo, um aumento de 16% com relação ao mesmo período do ano passado.

Por fim, o ministério reiterou que os pacientes atendidos pelo SUS recebem assistência ‘integral, equânime, universal e gratuita, incluindo exames preparatórios, cirurgia, acompanhamento e medicamentos pós-transplante’.

Anúncio