Atletas também podem sofrer complicações cardiovasculares

Em jogadores de futebol, o problema é recorrente e muitos podem ter sua carreira interrompida

São Paulo – A insuficiência cardíaca (IC) é uma doença que acomete 26 milhões de pessoas no mundo, inclusive atletas, de acordo com os dados da Rede Brasileira de Insuficiência Cardíaca (Rebric). A doença geralmente é desenvolvida entre os esportistas devido a um problema cardíaco não identificado precocemente. Em jogadores de futebol, o problema é recorrente e muitos podem ter sua carreira interrompida em decorrência das complicações cardiovasculares.

Doenças cardiovasculares também atingem atletas e merecem atenção. (Foto: Reprodução / Internet)

De acordo com a presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL), Marlene Oliveira, se engana quem pensa que por praticar esportes está livre de doenças cardiovasculares e é extremamente necessário que os esportistas estejam mais atentos a esses problemas e tenham acompanhamento médico de perto.

Ainda segundo a REBRIC, a doença mata três vezes mais do que o câncer de próstata e mama. Na Eurocopa deste ano, o jogador dinamarquês Christian Eriksen sofreu uma parada cardíaca durante uma partida e atualmente faz uso de um cardiodesfibrilador interno (CDI) para controlar as batidas irregulares do coração e prevenir possíveis complicações no órgão. Ex-jogadores como Abel Braga, Renato Gaúcho e Muricy Ramalho convivem com a arritmia, que pode gerar uma insuficiência cardíaca, caso não tenha os devidos cuidados.

A IC é caracterizada pela dificuldade do coração em bombear o sangue para corpo, impossibilitando o transporte do oxigênio para órgãos e tecidos De acordo com o cardiologista Fernando Augusto Alves da Costa, do comitê científico do Instituto Lado a Lado Pela Vida, nos atletas o problema pode ter diversas causas. “Fatores genéticos, condições cardíacas não diagnosticadas precocemente, como a arritmia cardíaca, hipertrofia do coração e até mesmo o excesso de exercícios podem gerar no esportista uma parada cardíaca, por exemplo e, consequentemente uma IC”, explica. Tais ocorrências lesionam o órgão e o impede de funcionar corretamente.

Marlene Oliveira, alerta que na maior parte da população uma das causas mais comum da insuficiência cardíaca é o infarto do miocárdio, mas outros fatores como hipertensão, diabetes, doença de chagas e até o uso abusivo de álcool pode se tornar um fator de risco. Vale ressaltar que o consumo excessivo de sal piora o controle e pode acelerar o aparecimento da IC.

Anúncio