Aumenta procura de lentes de contato nos dentes por pacientes com bruxismo

Segundo especialista, nem todos os pacientes procuram o tratamento por estética

Manaus – Ter os dentes alinhados e branquinhos é o desejo de boa parte da população. E há de convir, um sorriso bonito faz toda a diferença quando o assunto é aparência física. Não é à toa que a procura no país por lentes de contato dentais subiu cerca de 300%, segundo a Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). E esse índice não para de subir, ultrapassando as expectativas do setor.

(Foto: Divulgação)

O cirurgião-dentista, Antônio Chíxaro Jr, viu a demanda no consultório triplicar este ano com o procedimento famoso por transformar sorrisos. O trabalho com toque artístico, envolve diagnóstico e indicação técnica para alcance de resultados. Mas nem todos buscam só estética.

“É esperado que pacientes parafuncionais, portadores de bruxismo ou apertamento dental, procurem soluções estéticas e são eles que mais aparecem na clínica. Em cada dez pacientes, quatro têm bruxismo e, desses, sempre há dois que não sabem que possuem a condição. Nesse sentido, o profissional deve estar atento aos sinais e sintomas para que as lentes de resina sejam um instrumento terapêutico na reabilitação”, orienta o especialista.

O avanço da odontologia estética permitiu atender de forma mais técnica e funcional a demanda de pacientes, além de reduzir gastos do procedimento para bruxismo, por exemplo, uma condição provocada por episódios de estresse, tensão, ansiedade, ou a problemas físicos de oclusão ou fechamento inadequado da boca. Na pandemia, casos de bruxismo relacionados a abalos psicológicos aumentaram no Amazonas e no restante do país.

O início ou agravamento de sintomas como o apertar e ranger involuntário dos dentes foi relatado por 76% dos entrevistados em um estudo com 1.476 pessoas, que constataram maiores níveis de estresse e nervosismo nos primeiros meses de isolamento social. Os dados foram registrados por pesquisadores da Universidade Federal de Alfenas (Unifal-MG) e do Instituto Neurológico de Curitiba (INC).

“Hoje podemos afirmar com alegria, que pacientes com bruxismo podem fazer o procedimento com a técnica dos Table’s Tops, que são restaurações cerâmicas nos dentes inferiores para suportar a carga mastigatória, aumentar o espaço entre as arcadas para proteger as facetas e evitar problemas na gengiva. É uma inovação no tratamento”, garante o especialista.

O administrador de empresas, Raphael Gadelha, 30, recebeu diagnóstico de bruxismo em Manaus em 2014. Na época, o tratamento indicava para aparelho ortodôntico. “Usei aparelho até minha arcada ajustar. Mas depois que tirei, o desgate era o que mais me incomodava. Por isso, procurei o procedimento e hoje, sigo satisfeito e feliz com a mudança. Recuperei autoestima com mais segurança para voltar a sorrir”, disse.

A procura aumenta à medida que o tratamento ganha fama pelos resultados. O custo é acessível, mas avaliação e orçamento só podem ser repassados em consultório conforme a legislação que rege a odontologia.
Especialistas na área, como Antônio Chíxaro Jr, já fazem mentorias para capacitar outros profissionais e atender a demanda latente na capital. As turmas de até quatro participantes ocorrem em datas programadas.

Anúncio