Bancos de sangue de todo o Brasil vivem situação crítica e pedem doações

Hemocentros fazem campanha para reabastecer postos que estão com estoque baixo de todos os tipos sanguíneos

Brasília – O apelo de um colega de trabalho levou o estagiário Isaac Araújo, de 18 anos, a doar sangue pela primeira vez. “Eu sempre quis, desde pequeno, doar sangue, e agora completei meus 18, apareceu a oportunidade e eu vim doar.”

Sangue tipo O negativo é o que mais está em falta, por ser doador universal. (Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Um mutirão também fez com que o fotógrafo Henrique Carrijo fizesse a primeira doação de sangue. E, se depender do desejo dele, não vai ser a última.

“A sobrinha de uma amiga minha precisou da doação, e a gente veio ajudar. A situação me deu um alerta de que, assim como ela precisou, outras pessoas também vão precisar, e aí acho importante fazer a doação.”

E é importante mesmo, não só durante um mutirão ou pela necessidade de algum colega ou conhecido, mas principalmente em determinadas épocas do ano, como feriadões prolongados, férias e festas, quando as doações costumam cair.

No Acre, o Hemoacre percebeu uma queda na média de doações no período do primeiro turno. Em Brasília, o Hemocentro também sentiu essa queda. E, para evitar o sumiço de doadores nesta semana e na próxima, com a chegada do segundo turno das eleições e o feriado de Finados, o captador de doações Rafael Martins já tem uma estratégia.

“A gente teve uma queda de mais de 70% nas doações antes das eleições e também após as eleições. E a gente vem divulgando na mídia, nas redes sociais, para que as pessoas não deixem de doar. E também a gente sempre entra com ligações diretas para os doadores, WhatsApp […] a gente usa todo meio de comunicação possível para chamar esses doadores para não faltar sangue.”

Todos os tipos sanguíneos são necessários nos bancos de sangue, mas o O negativo é o mais solicitado, por ser doador universal, e o mais utilizado em emergências.

Na última sexta-feira, o Inca (Instituto Nacional do Câncer) já havia advertido que fechou o mês de setembro com 30% menos de doações e que o tratamento dos pacientes com câncer corria riscos.

Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 quilos e estar bem de saúde. Os interessados podem se dirigir às unidades de coleta de sangue, como os hemocentros, para checar se atendem aos requisitos necessários para a doação. Existem impedimentos temporários e definitivos; confira no site do Ministério da Saúde.

Anúncio