Casos de síndrome respiratória aguda grave crescem no Brasil

Acompanhamento semanal da Fiocruz apontam que 96% dos indivíduos desenvolvem condição devido à Covid-19

São Paulo – O Boletim InfoGripe, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), publicado nesta sexta-feira (28), mostra um aumento dos casos de SRAG (síndrome respiratória aguda grave) entre 16 e 22 de maio.

Casos de síndrome respiratória aguda grave crescem no Brasil. (Foto: Estadão Conteúdo)

A SRAG é uma das complicações decorrentes da covid-19, normalmente quando os pacientes necessitam de internação.

O boletim ressalta que 96% dos casos são devido à infecção pelo coronavírus — a gripe, por exemplo, também pode evoluir para síndrome respiratória aguda grave.

“O estudo sinaliza que o cenário atual está associado à retomada das atividades de maneira precoce. Tal situação manterá o número de hospitalizações e óbitos em patamares altos, com tendência de agravamento nas próximas semanas”, disse em nota o coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes.

Segundo o pesquisador, há tendência de crescimento dos casos de SRAG nos estados do Amazonas, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

Outros estados, como São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Paraíba, Goiás, Maranhão, Alagoas e Tocantins, além do Distrito Federal, têm chance de alta moderada.

Anúncio