Cheia dos rios causa alta de casos de gastroenterite

O problema é mais comum no verão em locais sem tratamento de água, rede de esgoto e água encanada

Manaus – A cheia histórica dos rios no Amazonas trouxe muitos transtornos para populações de várias cidades. Muitas famílias tiveram as casas alagadas e tiveram que sair de suas próprias moradias ou improvisar para continuar no local. Outro problema causado pela cheia é a gastroenterite.

Cheia dos rios causa alta de casos de gastroenterite. (Foto: Divulgação)

A gastroenterite é uma inflamação aguda que compromete os órgãos do sistema gastrointestinal. O problema é mais comum no verão e em locais sem tratamento de água, rede de esgoto, água encanada ou destino adequado de dejetos, explica o médico clínico Robson Siqueira, que atua nos hospitais públicos de Silves (a 204 quilômetros a leste de Manaus) e Itacoatiara (a 176 quilômetros a leste).

O caráter e a gravidade dos sintomas variam. Em geral, o início é súbito, com anorexia, a falta de apetite, náuseas, vômitos, cólicas abdominais e diarreia (com ou sem sangue e muco). Mal-estar, mialgias e prostração também podem ocorrer. O abdome pode estar distendido ou moderadamente sensível, completa o médico.

De acordo com Robson Siqueira, para prevenir contrair a doença é necessário evitar o consumo de água não tratada de (rios, lagos ou igarapés) ou tratada de maneira inadequada como as de poços artesianos. Lavar as mãos e alimentos: higienizar frequentemente as mãos é uma das principais formas de evitar a ocorrência da gastroenterite. Frutas e vegetais também precisam ser bem lavados antes do consumo.

É recomendável frequentar restaurantes com boa conduta higiênica, pois é importante evitar consumir alimentos em estabelecimentos que não tenham higiene adequada ou que não tenham controle sobre a procedência de seus produtos.

blank

Médico clínico Robson Siqueira, que atua nos hospitais públicos de Silves e Itacoatiara. (Foto: Divulgação)

É prudente evitar alimentos crus, pois devem ser consumidos preferencialmente cozidos, principalmente ovos e frango. A higiene da casca do ovo também é indicada para evitar qualquer contaminação.

Cuidado com o prazo de validade e armazenamento: maionese, molhos e outros alimentos altamente perecíveis devem ser refrigerados na geladeira sempre respeitando o prazo de validade.

Consuma probióticos, que são importantes para reequilibrar a flora intestinal, já que aumentam as colônias e a atividade das bactérias que protegem o sistema gastrointestinal. Esses microrganismos também estimulam o sistema imunológico e impedem a proliferação.

Vírus

Os vírus são as causas mais comuns de gastroenterites. O ‘rotavírus’ é a causa mais comum de diarreias esporádicas, graves e que provocam desidratação em crianças menores (com pico de incidência dos 3 aos 15 meses de idade). O rotavírus é altamente contagioso e muitas infecções ocorrem por via oro-fecal.

blank

Os vírus são as causas mais comuns de gastroenterites. (Foto: Divulgação)

Outros vírus são os ‘norovírus’, que mais frequentemente infectam crianças mais velhas e adultos. Já o ‘astrovírus’ pode infectar pessoas de todas as idades, mas em geral atinge bebês e crianças pequenas, e?os adenovírus, a quarta causa mais comum de diarreia viral na infância.

Bactérias

As bactérias também causam males. A gastroenterite bacteriana é menos comum que a viral. As bactérias causam gastroenterite por vários mecanismos. Algumas espécies aderem à mucosa intestinal sem invadi-la e produzem toxinas. Algumas bactérias produzem uma toxina que é ingerida junto com o alimento contaminado. Outras bactérias invadem a mucosa do intestino delgado ou cólon e provocam ulcerações microscópicas, sangramento, exsudação de líquido rico em proteínas e secreção de eletrólitos e água.

Parasitas

Certos parasitas intestinais aderem-se ou invadem a mucosa intestinal, causando náuseas, vômitos, diarreia e mal-estar geral. Costuma ser adquirida por contato interpessoal (em geral em centros de tratamento diário) ou por água contaminada. Outros parasitas que provocam sintomas similares.

De acordo com o médico Robson Siqueira há tratamento específico para a patologia. Se for causada por vírus, a gastroenterite pode passar sozinha e o tratamento serve apenas para amenizar sintomas e repor a perda de líquidos. O mesmo acontece nos casos provocados por alguns tipos de bactérias.

Dependendo do tipo de bactéria, pode ser necessária a administração de antibióticos ou outros medicamentos específicos. Além disso, pessoas com desidratação de grau moderado a grave também podem precisar de tratamento intravenoso para repor líquidos no organismo.

Em alguns casos, a gastroenterite pode provocar outras complicações de saúde. Nos casos graves, pode haver reação de defesa. Alças intestinais distendidas por gás podem ser palpáveis. Sons intestinais superativos (borborigmo) estão presentes na ausculta mesmo quando não há diarreia (uma característica diferencial muito importante do íleo paralítico, em que os sons intestinais estão ausentes ou são mais baixos).

Vômitos persistentes e diarreia podem causar depleção de fluidos com hipotensão e taquicardia. Nos casos mais graves pode ocorrer choque, com choque vascular e insuficiência renal, afirma o médico.

Para Robson Siqueira, a população ribeirinha em sua grande maioria faz uso de água extraída de rios, lagos, igarapés ou poços sem o devido tratamento para o consumo humano, entretanto a periferia das cidades em sua grande maioria faz uso de água da torneira sendo esta água inapropriada para o consumo.

“Podemos afirmar ainda que muitas das vezes a água encanada é a própria água do rio sem o devido tratamento sendo prejudicial à saúde podendo trazer uma série de danos ao organismo sendo a gastroenterite um dos mais comuns”, disse.

Anúncio