Coronavac: impasse leva Anvisa a nova reunião de emergência

Corpo técnico da agência federal, composto por 18 membros, que são servidores de carreira, pode definir retomada dos testes da vacina chinesa

São Paulo – A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) retomou, na manhã desta quarta-feira (11), a reunião de emergência para buscar uma saída para o impasse criado após a interrupção dos testes da Coronavac, a vacina chinesa desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o governo do Estado de São Paulo.

Futuro da Coronavac no Brasil está nas mãos da Anvisa (Foto: Wu Hong/EFE/EPA)

Participa do encontro desta manhã os 18 integrantes do corpo técnico da agência, todos servidores de carreira da Anvisa.

Ontem, as conversas dos técnicos da Anvisa com representantes do Instituto Butantan, órgão paulista que será responsável pela fabricação da vacina chinesa no Brasil, se estenderam até tarde da noite. Sobre a mesa, estão as condições técnicas de retomada dos testes da Coronavac.

Ainda ontem, a Anvisa recebeu uma carta do Comitê Internacional Independente para o estudo da Coronavac, que traz critérios e sugestões para a agência interromper ou autorizar a retomada dos testes. O documento foi recebido, mas não entra nas considerações técnicas.

O eventual laudo pericial, quando disponível, atestando o suicídio do voluntário da Coronavac que morreu, será um elemento adicional, mas também não é determinante, porque será necessário desvincular, de forma segura, a causa da morte do “efeito adverso grave”.

Anúncio