Covid-19: pacientes assintomáticos causam 50% dos casos, diz estudo

A análise desses dados não comprova que pessoas assintomáticas são mais ou menos infecciosas, mas deixa claro que dentre todos os casos do vírus que se espalham a maior parte é de pessoas sem sintomas

EUA – Um estudo da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, apontou que cerca de 50% dos casos de covid-19 são causados por pacientes assintomáticos. A pesquisa mostra que durante o surto inicial do coronavírus em Nova York, apenas um em cada cinco ou sete casos era sintomático.

Com base nesses dados, o estudo aponta que a taxa de infectados que sentiram sintomas está entre 13% e 18%. (Foto: Divulgação)

De acordo com o site Medical Xpress, Rahul Subramanian, coautor do estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, disse que é difícil separar os casos de pessoas infectadas com SARS-CoV-2 que não foram relatados por falta de testes, daqueles que apenas não sentiram nenhum sintoma da doença. “Queríamos separar essas duas coisas e como Nova York foi uma das primeiras cidades a relatar o número diário de testes concluídos, pudemos usar esses números para estimar quantos casos de covid-19 eram sintomáticos”, afirmou.

Leia mais: Vacinados contra Covid devem manter cuidados e podem contaminar outros, diz OMS

Embora diversos estudos utilizem dados epidemiológicos para calcular a taxa de transmissão e casos não contabilizados, a pesquisa da Universidade de Chicago foi a primeira a ser revisada ao incorporar dados sobre a capacidade diária de testes e mudanças nas taxas de teste ao longo do tempo, a fim de fornecer uma imagem mais precisa da proporção de infeções sintomáticas por Covid-19.

Com base nesses dados, o estudo aponta que a taxa de infectados que sentiram sintomas está entre 13% e 18%, segundo a autora sênior Mercedes Pascual. “Independentemente da incerteza em todos os outros parâmetros, podemos dizer que mais de 50% da transmissão que ocorre na comunidade é de pessoas sem sintomas”.

A análise desses dados não comprova que pessoas assintomáticas são mais ou menos infecciosas, mas deixa claro que dentre todos os casos do vírus que se espalham pelos Estados Unidos, a maior parte é de pessoas sem sintomas. Fato que reforça a importância de manter as medidas de segurança e isolamento social apresentadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) para prevenção da covid-19.

“Mesmo que as pessoas assintomáticas não estejam transmitindo o vírus em altas taxas, elas constituem algo como 80% de todas as infecções”, afirmou o coautor do estudo, Qixin He.

Anúncio