Covid: Brasil completa um mês de vacinação com apenas 3% imunizados

Com mais de mil mortes diárias e 6 capitais prestes a parar vacinação por falta de doses, campanha pode entrar em colapso

São Paulo – Sem estoque de vacinas e a promessa de receber cerca de 13 milhões de doses até o final de fevereiro, o Brasil completa nesta quarta-feira (17) um mês da largada na campanha nacional de vacinação com apenas 3% de imunizados.

o Ministério distribuiu 11,1 milhões de doses aos Estados. (Foto: Divulgação)

Até a noite desta terça-feira, a primeira dose da vacina havia alcançado 5,5 milhões de brasileiros. A segunda dose, apenas 329 mil pessoas. Sob pressão, o governo apresenta planos de compra de quase meio bilhão de doses até o final do ano.

Leia mais: Cientistas investigam relação da Covid-19 com novos casos de diabetes

O andamento da vacinação, que já começa a ser interrompida por falta de doses em 6 capitais, é criticado por governadores, que se reúnem hoje com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. “Neste ritmo quando vamos alcançar 30%? Daqui a 10 meses? Morrendo mais de 1.000 pessoas por dia?”, declara o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), coordenador do Fórum de governadores.

Os resultados do primeiro mês de vacinação também estão longe de atender à demanda do setor produtivo, que vê na imunização da população precondição para a retomada segura da atividade econômica. A próxima entrega de imunizantes está prevista para daqui a uma semana: cerca de 9 milhões de doses da Coronavac, do Instituto Butantan.

Até o momento, o Ministério distribuiu 11,1 milhões de doses aos Estados. A maioria não ultrapassou as duas primeiras categorias de vacinados: profissionais de saúde e idosos. A demanda dos governadores é que a população fora da faixa de risco comece a ser vacinada em maio – expectativa inalcançável no ritmo atual da campanha.

Anúncio