Dia Mundial do combate ao AVC chama a atenção para o socorro imediato

Saiba os principais sintomas da doença e o que fazer no momento em que uma pessoa estiver com o acidente vascular no cérebro

Manaus – No próximo dia 29 de outubro é celebrado o Dia Mundial do Acidente Vascular Cerebral (AVC). Conhecido popularmente como derrame, a doença é considerada uma das principais causas de morte ou incapacidade com sequelas permanentes em nosso país.

(Foto: Divulgação)

De acordo com dados da Organização Mundial de AVC, 70 mil brasileiros morrem de AVC todos os anos – essa é a doença que mais mata no país. E que uma em cada 10 pessoas que sofreram um AVC poderão ter outro ataque nos últimos 12 meses seguintes.

O AVC decorre da alteração do fluxo de sangue ao cérebro. Responsável pela morte de células nervosas da região cerebral atingida, o AVC pode se originar de uma obstrução de vasos sanguíneos, o chamado acidente vascular isquêmico, ou de uma ruptura do vaso, conhecido por acidente vascular hemorrágico.

De acordo com Julianne Tannous, Neurologista e Neurofisiologista Clínica, a doença pode ser ocasionada por uma série de fatores. “O AVC ou derrame pode acontecer de duas formas, uma quando ocorre um rompimento das artérias na cabeça ocasionando um sangramento, e outra quando tem uma ‘oclusão’, quando entope um vaso e deixa de chegar sangue em algum lugar. O AVC é causado pelas principais morbidades na população como diabetes, colesterol alto, obesidade, além de tabagismo, etilismo e uso de drogas”, alerta Juliane.

Para a médica, a única forma de prevenir a doença é estimulando uma vida saudável e eliminar práticas abusivas e viciosas. “A principal forma de prevenção é o controle dos fatores de risco. Cessar tabagismo, etilismo, uso de drogas, controlar rigorosamente a pressão arterial, diabetes e obesidade. Em alguns pacientes, o AVC também pode estar relacionado a arritmias e a insuficiência cardíaca, então é importante fazer o controle também dessas doenças”, destaca a neurologista.

Entenda os tipos de AVC:

Acidente vascular isquêmico ou infarto cerebral: responsável por 80% dos casos de AVC. Esse entupimento dos vasos cerebrais pode ocorrer devido a uma trombose (formação de placas numa artéria principal do cérebro) ou embolia (quando um trombo ou uma placa de gordura originária de outra parte do corpo se solta e pela rede sanguínea chega aos vasos cerebrais);

– Acidente vascular hemorrágico: o rompimento dos vasos sanguíneos se dá na maioria das vezes no interior do cérebro, a denominada hemorragia intracerebral. Em outros casos, ocorre a hemorragia subaracnóide, o sangramento entre o cérebro e a aracnóide (uma das membranas que compõe a meninge). Como consequência imediata, há o aumento da pressão intracraniana, que pode resultar em maior dificuldade para a chegada de sangue em outras áreas não afetadas e agravar a lesão. Esse subtipo de AVC é mais grave e tem altos índices de mortalidade.

Sintomas e sinais de alerta:

Muitos sintomas são comuns aos acidentes vasculares isquêmicos e hemorrágicos, como:
– dor de cabeça muito forte, de início súbito, sobretudo se acompanhada de vômitos;
– fraqueza ou dormência na face, nos braços ou nas pernas, geralmente afetando um dos lados do corpo;
– paralisia (dificuldade ou incapacidade de se movimentar);
– perda súbita da fala ou dificuldade para se comunicar e compreender o que se diz;
– perda da visão ou dificuldade para enxergar com um ou ambos os olhos.

Fatores de risco:

– hipertensão;
– diabetes;
– tabagismo;
– consumo frequente de álcool e drogas;
– estresse;
– colesterol elevado;
– doenças cardiovasculares, sobretudo as que produzem arritmias;
– sedentarismo;
– doenças do sangue.

Como identificar um AVC:

– Alteração do equilíbrio, coordenação, tontura ou alteração no andar;
– Confusão, alteração da fala ou compreensão;
– Alteração na visão, dor de cabeça súbita, intensa e sem causa aparente;
– Fraqueza ou formigamento na face, no braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo;

O AVC é uma emergência médica. Se achar que você ou outra pessoa está tendo um, é preciso dirigir-se com urgência ao serviço de emergência do hospital mais próximo para um diagnóstico completo e tratamento;

Fatores de risco e prevenção do AVC:

Mantenha uma dieta saudável;
Pratique atividade física regularmente;
Evite o fumo e limite o consumo de álcool;
Conheça os próprios fatores de risco como a hipertensão, diabetes e colesterol;
Cuidado com o estresse e depressão;
Fique atento ao acúmulo de gordura abdominal;