Especialistas destacam importância dos cuidados com a saúde mental

Segundo especialistas, é importante manter um alerta sobre os primeiros sinais de falta de saúde mental, como a depressão, por exemplo

Manaus – Durante a pandemia, depressão e transtorno de ansiedade desenvolvidos por mulheres de 30 a 50 anos, são a maioria dos casos em atendimento na Policlínica Codajás. A informação foi dada pela médica psiquiatra Maida Queiroz, que atende mensalmente cerca de 100 pacientes no setor Saúde Mental.

A médica explicou que é importante manter um alerta sobre os primeiros sinais de falta de saúde mental, como a depressão, por exemplo. “Essa doença se caracteriza por sensação de angústia, perda de felicidade e a pessoa deixa de sentir prazer em tudo que gosta, além de perder a criatividade, o apetite, a mente vai sendo invadida por ideias negativas e a pessoa vai querendo permanecer na cama”, destacou Maida.

A especialista contou ainda que não se conhece exatamente a causa dessas doenças, mas acredita-se que há uma predisposição genética, que pode ser disparada por eventos estressantes tais como: separação conjugal, morte de um ente querido, perda de emprego, assalto, mudança de país ou cidade, presença de familiar com doença crônica.

Mulheres de 30 a 50 anos são a maioria dos casos em atendimento na Policlínica Codajás (Foto: Islânia Lima / Policlínica Codajás)

Embora os sintomas depressivos e ansiosos sejam problemas comuns e muitas vezes andam juntos, a médica afirmou que é importante que o paciente busque acompanhamento médico. Em média, o primeiro episódio depressivo deve ser tratado por oito meses.

Além da consulta com o psiquiatra, no setor saúde mental é possível também fazer acompanhamento com psicólogos que atuam nos fatores emocionais.

A psicóloga Fabiane Marques explicou que a participação do profissional de psicologia na avaliação dos fatores emocionais é importante. “Auxiliamos na elaboração de estratégias para que esses conflitos sejam melhorados e proporcionar melhor qualidade de vida ao paciente”, finalizou.

O serviço ambulatorial de Saúde Mental da Policlínica Codajás iniciou em julho de 2012. Atualmente, a equipe é composta de psicólogos, assistentes sociais, psiquiatras, enfermeiros, neurologistas, clínicos gerais e técnicos de enfermagem.

Para o diretor geral da unidade, o fisioterapeuta Ráiner Figueiredo, o atendimento psiquiátrico tem como meta diminuir o sofrimento dos pacientes. “Aqui eles recebem os primeiros atendimentos, para acompanhamento com prescrição de medicação e orientação para retorno médico ou encaminhamento para outros especialistas”, explicou.

Os atendimentos dos médicos são agendados pelo Sistema de Regulação (Sisreg). O acesso ao Serviço de Psicologia infanto-juvenil e adulto é realizado por meio de acolhimento pela própria equipe, composta de psicólogos e assistentes sociais.

Anúncio