Estoque crítico: maternidade reforça pedido para doação de leite materno

O Posto de Coleta de Leite Humano da Maternidade Dr. Moura Tapajóz está com o menor número de doadoras registrado nos últimos anos

Manaus – O Posto de Coleta de Leite Humano da Maternidade Dr. Moura Tapajóz (MMT), está com o menor número de doadoras ativas registrado nos últimos anos e com seu estoque em nível crítico. Após celebrar o recorde de doação de leite humano em agosto deste ano, quando mais de 18 mil mililitros foram doados em apenas uma semana durante a campanha do Agosto Dourado, o “Cantinho da Amamentação” da MMT apresentou queda expressiva no número de doadoras nos últimos meses.

(Foto: Artur Barbosa / Semsa)

A situação se torna mais alarmante em razão da proximidade tanto das festas de fim de ano como das férias, períodos em que todos os anos já acontece uma diminuição natural do número de doações. A preocupação é não deixar de abastecer os recém-nascidos que estão na UTI da maternidade e que necessitam do leite materno. Cada 300 mililitros de leite sustentam, em média, um recém-nascido por dia.

“Depois das festas de fim de ano e das férias ainda temos o Carnaval, época em que as doações também caem. Os bebês doentes e prematuros da Maternidade Dr. Moura Tapajóz, que não podem ser amamentados por suas próprias mães, não podem e nem conseguem esperar todo esse tempo. É importante que as mulheres lactantes tenham consciência de que doar leite literalmente salva vidas”, destacou a enfermeira obstetra Núbia Cruz, diretora da MMT.

Para um simples efeito comparativo, em outubro de 2022 foram doados um total de 34.720 mililitros de leite; em outubro deste ano, esse número caiu para menos da metade, totalizando 16.410 mililitros de leite.

“É importante ressaltar que nós fazemos tudo para facilitar o processo de doação: vamos deixar os potes esterilizados na casa das doadoras, buscamos o leite, orientamos sobre todo processo”, explicou a enfermeira Lílian Aguiar, responsável pelo Cantinho da Amamentação. “Toda mulher saudável que esteja amamentando pode ser voluntária e ajudar a salvar a vida de vários recém-nascidos, inclusive aquelas que tiveram seus filhos em qualquer outra maternidade, pública ou particular”, completou.

A coleta domiciliar pode ser agendada pelo telefone (92) 99240-8080 (somente mensagem de Whatsapp), de segunda a sexta-feira, em horário comercial, ou a doação pode ser realizada presencialmente na própria sede da maternidade, localizada na avenida Brasil, n° 1.335, bairro Compensa 1, todos os dias, das 8h às 17h.

Todo o leite doado é analisado, pasteurizado e submetido a um rigoroso controle de qualidade antes de ser ofertado a uma criança, conforme rege a legislação que regulamenta o funcionamento dos bancos de leite humano no Brasil, a RDC Nº 171.

O Posto de Coleta de Leite Humano da MMT existe desde 2005 e funciona 24 horas para o atendimento às pacientes internadas na unidade. Em horário comercial, o Cantinho da Amamentação também dá apoio às puérperas e mulheres que estão amamentando, com orientações sobre amamentação. O posto dispõe, ainda, de automóvel com motorista, exclusivamente para coleta de leite no domicílio das mães doadoras, buscando os vidros cheios e substituindo por vidros esterilizados.

“Doar leite não é complicado. Todas as mães que estão em casa, e que produzam excedente de leite, por favor entrem em contato conosco pelo WhatsApp, para que possamos orientar e agendar a coleta. E quem não puder doar pode ajudar divulgando essa informação para os amigos, família e em suas redes sociais”, explicou Lílian Aguiar.

A amamentação é recomendada pelo Ministério da Saúde (MS) para crianças por pelo menos dois anos ou mais, sendo, de maneira exclusiva, até os seis meses. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), cerca de seis milhões de vidas são salvas todos os anos devido ao aumento das taxas de amamentação exclusiva até o sexto mês de idade.

Anúncio