Estresse da pandemia e os casos de DTM

Dores na face, assim como comprometimento das funções da mandíbula são sintomas da DTM

Manaus – Disfunção Temporomandibular (DTM) tem se tornado, nesta pandemia da Covid-19, mais comum do que se imagina e o estresse é um dos principais gatilhos desta doença. O cirurgião bucomaxilofacial, Flávio Fayad, alerta para o aumento dos casos de DTM. “Temos consciência que os dias atuais não tem sido nada fáceis, o momento trágico que vivemos trouxe para nossos lares o medo do contágio pelo novo coronavírus e o medo da perda dos entes queridos, do emprego, da renda e até mesmo do controle da nossa própria vida, enfim, todos estes fatores biológicos e psicológicos elevam os níveis de estresse que contribui para o aparecimento da DTM”, explica cirurgião dentista.

De acordo com Fayad, muito estresse eleva os níveis fisiológicos de cortisol – hormônio produzido pelas glândulas supra renais, que pode causar hipertensão arterial, diabetes, depressão, diminuição da regeneração tecidual e, portanto, o aparecimento da DTM é nesta hora que se faz necessário buscar ajuda de um especialista na área.Os sintomas da Disfunção Temporomandibular são: dor na face e ou na cabeça, dor na região da articulação temporomandibular que é a conexão da mandíbula com a cabeça; dificuldade e dor na abertura e ou fechamento da boca; estalos nas articulações; desvio mandibular; dificuldade na mastigação, deglutição e até fonação. “Tudo reflexo da tensão e do estresse que faz a pessoa apertar com muita força os dentes (apertamento mandibular) ou ranger os dentes(bruxismo); alterações de posicionamento dental; perdas dentárias, trauma local, doenças degenerativas articulares causadas pelo estresse e a privação do sono”, destaca o dentista.

Tratamento

O tratamento é clínico e em alguns casos até cirúrgico realizado pelo cirurgião dentista qualificado para ajudar no controle dessa síndrome. “Cabem aqui algumas considerações importantes. Na primeira esse processo é degenerativo progressivo e não há cura total, mas controle e estagnação do quadro, por isso, quanto mais cedo for feito diagnóstico e inicio do tratamento melhor será o resultado. A segunda consideração é a de que o paciente tem papel fundamental no plano de tratamento uma vez que isso passa pela necessidade de praticar exercícios físicos, fazer dieta adequada, mudar hábitos, tomar a medicação, melhorar a qualidade do sono, usar de dispositivos clínicos e principalmente reduzir o estresse em sua vida.”, explica Flávio Fayad.

Diante da pandemia da Covid-19 e de todo o estresse, medo gerado por este contexto na vida de todos, a prevenção ou o tratamento da Disfunção Temporomandibular é primordial e procurar um cirurgião dentista através da uma consulta pode garantir mais qualidade de vida ao paciente.

Especialista

Flávio Fayad é Doutor em Implantodontia. Mestre e especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial. Cirurgião bucomaxilofacial com 25 anos de experiência no mercado da Odontologia, com cursos de Pós Graduação, no Brasil e no exterior, em Cirurgias Periodontais, Disfunções Temporomandibulares, Ortodontia, Harmonização Oro Facial e Estética Dental e professor universitário orientador de linhas de pesquisas. Ministra cursos nacionais e internacionais nas referidas áreas e tem produção científica vasta com artigos publicados em revistas especializadas, nacionais e mundiais e capítulos de livros escritos.

Anúncio