Infectologista faz alerta sobre cuidados com nova variante Ômicron

Amazonas confirmou o primeiro caso da variante no Estado nos últimos dias

Manaus – Atualmente, circulam no mundo pelo menos cinco tipos de variantes da Covid-19, são elas: alfa, beta, gama, delta e ômicron. Os nomes do alfabeto grego foram dados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no intuito de facilitar a comunicação, a notificação de casos e reduzir preconceitos.

Amazonas confirmou o primeiro caso da variante no Estado nos últimos dias (Foto: Kássio Morães/ FVS-RCP)

A variante designada ômicron pela OMS foi detectada e anunciada pelo Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis da África do Sul (NICD) em 25 de novembro, a partir de amostras retiradas de um laboratório cerca de dez dias antes. Segundo a OMS, o que se sabe até o momento é que a ômicron é uma variante altamente transmissível e com grande número de mutações.

O infectologista Fernando Chagas, fala sobre os cuidados com a nova variante e a importância de manter as formas de prevenção. “Estamos todos em risco de infecção pela variante ômicron, porém quem está com esquema vacinal completo contra Covid-19 tem menos chances de pegar o vírus e, se pegar, transmite por menos tempo, sem risco para evolução para a forma grave”, destaca.

“As medidas de prevenção são as mesmas, reforçando sempre o uso da máscara, evitar grandes aglomerações e sempre lembrar de higienizar as mãos. Importante também reforçar que as pessoas com sintomas gripais precisam usar máscaras até mesmo dentro de casa, assim como separar copos, pratos, talheres e material de cama e toalhas para evitar transmitir dentro do ambiente familiar”, finaliza o infectologista.

Primeiro caso no Amazonas

Na última terça-feira (4), o Amazonas confirmou o primeiro caso da variante Ômicron do novo coronavírus. De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), trata-se de uma mulher brasileira, de 27 anos, residente em São Paulo e que chegou a Manaus, vindo de Fortaleza, no dia 21 de dezembro.

Ao chegar em Manaus, a mulher realizou coleta no posto de testagem no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, onde testou positivo para Covid-19 e foi orientada para o isolamento domiciliar durante 14 dias. A paciente apresentava sintomas leves de tosse e coriza e possuía calendário vacinal completo, incluindo a dose de reforço.

Alguns postos de Triagem (realização de testes diagnósticos para Covid-19) estão sendo mantidos nos portos, aeroportos e rodoviária na capital e nos municípios do interior. Em casos positivos de Covid-19, será determinado o isolamento social por 14 dias a essas pessoas.

Os órgãos de saúde ainda reforçam a necessidade de adesão às medidas de prevenção não farmacológicas, como usar máscaras faciais; evitar locais fechados e pouco ventilados; e adotar medidas de distanciamento social e de etiqueta respiratória, além da higienização das mãos.

Anúncio