Manaus registra 47 casos de meningite neste ano; especialistas alertam para prevenção

Além da vacinação, lavar as mãos com frequência, manter o ambiente ventilado e evitar locais de grande aglomeração são algumas das formas de prevenir a contaminação

Com informações da assessoria / [email protected]

Médica destaca que há maior incidência da meningite no período de chuvas. Foto: EBC

Manaus – Os casos de meningite registrados nos últimos meses, em Manaus, vêm preocupando a população. Segundo dados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), somente neste ano já foram notificados 47 casos. No ano passado, foram 164. A diretora da Clínica Vacinar, médica Amanda Alecrim, alerta que a doença é prevenível com vacinação.

A meningite é caracterizada por um processo inflamatório das meninges (membranas que envolvem o cérebro). Pode ser causada por vírus e bactérias. O médico infectologista da Clínica Santa Lourdes, Silvio Fragoso, explica que a diferença entre os tipos de meningite é o agente causador.

As meningites virais geralmente não evoluem com complicações. A forma mais grave é a meningite meningocócica, responsável pela maioria dos casos e transmitida por bactérias. As crianças são as principais vítimas desse tipo da doença.

Altamente contagiosa, a meningite bacteriana pode causar sequelas como perda de audição, dificuldade de aprendizado, danos cerebrais e amputação de membros. Em alguns casos, leva o paciente à morte. Embora preocupante, a doença tem tratamento. É importante o paciente receber o atendimento correto e a tempo e, melhor ainda, é prevenir-se com vacinação.

De acordo com Amanda Alecrim, cinco sorogrupos da bactéria meningococo (A, B, C, W e Y) são responsáveis pela maioria dos casos no Brasil. A imunização contra o tipo B e a conjugada ACWY só estão disponíveis em clínicas particulares. A rede pública disponibiliza para a população apenas a vacina meningocócica C, para crianças de até 2 anos de idade.

“A vacinação, inclusive para a tetravalente, pode e deve ser feita a partir dos 2 meses de vida. As famílias devem ficar atentas e é importantíssimo imunizar não somente as crianças e os adolescentes, que são os grupos mais suscetíveis, como também adultos e idosos, pois a doença meningocócica é de fácil transmissão e, quanto mais pessoas forem imunizad as, maiores são as chances de proteger a família”, ressalta a diretora da Clínica Vacinar.

A médica destaca que há maior incidência da meningite no período de chuvas, que tem início no fim do ano e segue até maio. “É uma época em que, normalmente, o número de casos apresenta aumento. Mas o risco existe o ano inteiro, pois as pessoas viajam e podem ir a um lugar em que haja surto, por exemplo. Daí a importância de estar com a vacinação em dia, sempre”, recomendou.

Além da vacinação, lavar as mãos com frequência, manter o ambiente ventilado e evitar locais de grande aglomeração são algumas das formas de prevenir a contaminação.

Os sintomas da meningite incluem febre, vômito, dor de cabeça, sensibilidade à luz, fadiga e rigidez no pescoço. No agravamento da infecção, podem surgir manchas vermelhas na pele. Nos bebês, perda de apetite, diarreia, irritabilidade e choro prolongado também podem indicar a enfermidade. A orientação é que, ao apresentar os primeiros sinais, a pessoa procure atendimento médico, porque a meningite pode agravar em 48h ou deixar sequelas.

Anúncio