Ministério da Saúde adianta envio de 15,5 milhões de vacinas da Pfizer

Após reunião do Comitê de Enfrentamento da Covid, também foram garantidas 520 milhões de imunizantes até fim do ano

Brasília – O Ministério da Saúde anunciou, nesta quarta-feira (14), que o governo federal conseguiu antecipar a chegada, até junho, de 15,5 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 da Pfizer.

doses da vacina da Pfizer (Foto: Justin Tallis/AFP)

Ministério da Saúde adianta envio de 15,5 milhões de vacinas da Pfizer. (Foto: Justin Tallis/AFP)

O anúncio foi feito, em entrevista coletiva, após segunda reunião do Comitê de Enfrentamento da Covid, que aconteceu nessa manhã. O chefe da pasta, Marcelo Queiroga, informou que a remessa foi antecipada para os meses de abril, maio e junho e faz parte das 100 milhões de doses compradas pelo Ministério da Saúde no mês passado.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), estava presente e afirmou que o encontro também tratou da garantia do cronograma para entrega de doses de imunizantes até o fim de 2021.

“O cronograma garante 520 milhões de doses até o fim do ano, sendo majoritariamente atendido por Fiocruz e Instituto Butantan, além do consórcio Covax Facility. Esperamos que todos os brasileiros estejam vacinados até o fim do ano, por isso, suplicamos ao ministério a antecipação das vacinas”, afirmou o presidente do Senado.

O chefe da pasta, Marcelo Queiroga, informou que a remessa foi antecipada para os meses de abril, maio e junho e faz parte das 100 milhões de doses compradas pelo Ministério da Saúde no mês passado.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), estava presente e afirmou que o encontro também tratou da garantia do cronograma para entrega de doses de imunizantes até o fim de 2021.

“O cronograma garante 520 milhões de doses até o fim do ano, sendo majoritariamente atendido por Fiocruz e Instituto Butantan, além do consórcio Covax Facility. Esperamos que todos os brasileiros estejam vacinados até o fim do ano, por isso, suplicamos ao ministério a antecipação das vacinas”, afirmou o presidente do Senado.

Kit intubação

Além da situação da vacinas para prevenir a covid-19, Queiroga também informou sobre a compra de medicamentos e insumos para o kit intubação e entrega às secretarias municipais e estaduais de saúde.

 “O governo federal, em conjunto com a Organização Pan-Americana de Saúde, vai fazer uma compra direta de insumos para que, nos próximos dez dias, tenhamos nossos estoques reforçados para atendar as secretarias de saúde”, disse o ministro.

Sobre a falta de oxigênio nos hospitais, o responsável pela Saúde anunciou a compra de uma nova carga do insumo junto ao Canadá.

“Estamos trazendo 18 caminhões importados do Canadá e o objetivo é trazer 50 caminhões para resolver esse problema de oxigênio. Além disso, a iniciativa privada está nos ajudando com cilindros. Vale lembrar que também os grandes centros estão com escassez, não só as cidades mais longínquas”, explicou Queiroga.

Kit intubação

Além da situação da vacinas para prevenir a covid-19, Queiroga também informou sobre a compra de medicamentos e insumos para o kit intubação e entrega às secretarias municipais e estaduais de saúde.

 “O governo federal, em conjunto com a Organização Pan-Americana de Saúde, vai fazer uma compra direta de insumos para que, nos próximos dez dias, tenhamos nossos estoques reforçados para atendar as secretarias de saúde”, disse o ministro.

Sobre a falta de oxigênio nos hospitais, o responsável pela Saúde anunciou a compra de uma nova carga do insumo junto ao Canadá.

“Estamos trazendo 18 caminhões importados do Canadá e o objetivo é trazer 50 caminhões para resolver esse problema de oxigênio. Além disso, a iniciativa privada está nos ajudando com cilindros. Vale lembrar que também os grandes centros estão com escassez, não só as cidades mais longínquas”, explicou Queiroga.