MUDANÇAS: saiba como acontecerá a vacinação contra a Covid-19 em 2024

Ministério da Saúde e PNI fizeram mudanças no calendário de vacinação

São Paulo – O Ministério da Saúde realizou uma atualização no Calendário Vacinal, promovido pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), na última terça-feira (31), na qual a vacina para Covid-19 passa a fazer parte da vacinação anual.

(Foto: Tânia Rego / Agência Brasil)

A medida já passou pela avaliação da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (CTAI), e a mudança entra em vigor em 2024. A partir de então, a vacina torna-se obrigatória para bebês e crianças entre 6 meses e 5 anos.

Em caso de descumprimento, poderão ser aplicadas multas e haver perda de benefícios sociais, como o Bolsa Família. O Estatuto da Criança e do Adolescente prevê que é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias.

Além da vacinação obrigatória infantil, grupos prioritários, como gestantes, idosos e imunossuprimidos, também poderão receber a dose anual.

“Como sempre fazemos em outras campanhas, abrimos para grupos prioritários e, depois, havendo sobra de vacina, a gente abre para os demais. Essa tem sido sempre a recomendação do Ministério da Saúde. A gente vai focar os prioritários, porque o principal foco da doença agora, no mundo inteiro, é diminuição de gravidade, hospitalização e óbito”, destacou a secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente do Ministério da Saúde, Ethel Maciel, em comunicado divulgado pela pasta

Ainda, maiores de 18 anos que já tomaram pelo menos duas doses da vacina devem receber uma dose de reforço da vacina bivalente.

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, ressalta que todos os imunizantes têm eficácia e segurança comprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e seguem orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde para aplicação. “Além disso, as vacinas passam por um rigoroso processo de estudo de qualidade antes de ser incorporadas ao SUS”, acrescenta.

Para aqueles que forem infectados pela Covid, com os primeiros sintomas e a confirmação de teste positivo, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece o antiviral nirmatrelvir/ritonavir. O medicamento é recomendado para pacientes acima dos 65 anos e imunossuprimidos a partir dos 18 anos de idade.

Veja abaixo como será a vacinação para a Covid-19 a partir do próximo ano:

OBRIGATÓRIA

Crianças de 6 meses a 5 anos – Constituída por três doses, com intervalo de oito semanas entre a primeira e segunda dose, e intervalo de quatro meses entre a segunda e terceira dose.

GRUPOS PRIORITÁRIOS

  • Idosos;
  • Imunocomprometidos;
  • Gestantes e Puérperas;
  • Trabalhadores da saúde;
  • Pessoas com comorbidades;
  • Indígenas;
  • Ribeirinhos e Quilombolas;
  • Pessoas em Instituições de longa permanência e trabalhadores;
  • Pessoas com deficiência permanente; pessoas privadas de liberdade;
  • Adolescente e jovens cumprindo medidas socioeducativas;
  • Funcionário do Sistema de Privação de Liberdade;
  • Pessoas em situação de rua.

Anúncio