Pandemia aumenta demanda por tratamentos de dependência química; saiba como se especializar

Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2020, foi registrado um aumento de 54% no atendimento de dependentes químicos pelo SUS

Manaus – O isolamento forçado em razão da pandemia do novo coronavírus afetou diretamente a saúde mental da população em geral, causando problemas como ansiedade e depressão, mas também representou um significativo aumento no número de dependentes químicos.

Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2020, foi registrado um aumento de 54% no atendimento de dependentes químicos pelo SUS, em relação ao ano anterior. A crise sanitária, assim como as incertezas sobre o futuro, é apontada como grande agente responsável por esses números.

(Foto: Alex Green / Pexels)

Os excessos podem ser notados desde de bebidas alcoólicas até drogas e medicamentos – ilícitos ou não – que são utilizados como escape neste momento.

Por isso, cada vez mais os tratamentos para dependência química vêm sendo procurados. E, com a demanda crescente, muitos profissionais que já atuavam em outras áreas da saúde passaram a se especializar nesse segmento.

Quem opta por adentrar nessa área da saúde deve, principalmente, ter em mente que a recuperação do paciente é possível e fazer um curso de dependência química focado em discutir os diferentes aspectos do problema, analisar os efeitos e apresentar o manejo clínico em drogas cujas dependências causam maior impacto.

Além disso, é importante estudar temas como critério de diagnósticos e classificação, consumo em populações especiais e também suicídio e psiquiatria forense no contexto de adição a substâncias, fatores bastante importantes no cenário atual.

Anúncio